Filmes de João Viana hoje nas salas portuguesas

A longa e a curta metragens que o realizador João Viana rodou na Guiné Bissau, premiadas no festival de cinema de Berlim, chegam hoje às salas de cinema em Portugal.

A longa-metragem "A batalha de Tabatô", que teve antestreia em abril, no festival IndieLisboa, vai ser exibida em duas salas, uma em Lisboa e outra no Porto. Em comunicado, a produtora e distribuidora Papaveronoir anunciou que o filme será, paralelamente, exibido nos cine-teatros de todas as capitais de distrito.

Já a curta-metragem "Tabatô" integra, no mesmo dia, a competição nacional da 21.ª edição do Festival de Curtas Metragens de Vila do Conde.

Longa e curta metragens tiveram estreia mundial na Berlinale, festival de cinema de Berlim, em fevereiro, tendo sido galardoadas, respetivamente, com a Menção Especial do Júri para o Melhor Primeiro Filme e com o DAAD Short Film Award.

João Viana, que nunca tinha estado na Guiné-Bissau, viajou para Tabatô, uma aldeia de músicos mandingas na Guiné-Bissau, e veio de lá com dois filmes.

Em entrevista à Lusa, quando o filme passou no IndieLisboa, o realizador contou que, a princípio, a aldeia de Tabatô não o surpreendeu -- "as tabancas pareciam todas iguais" e "não via a riqueza" da floresta.

Foi "preciso peneirar a realidade" e "limpar o olhar ocidental", confessou, classificando o resultado como "um filme de descolonização mental".

"Da mesma maneira que nós temos um olhar viciado para com eles -- olhamos sempre de cima do cavalo, estamos com o olhar sujo, eles também nos olham de baixo para cima", comparou. O "nivelamento" de olhares "demorou alguns anos", mas funcionou e João Viana espera que os espetadores também saiam do filme "com o olhar limpo".

O músico Mamadu Baio (Idrissa), um dos protagonistas do filme, está em Portugal, com a banda Supercamarimba, para acompanhar a promoção do filme, com concertos agendados para Lisboa (no sábado, no Espaço Nimas, com entrada gratuita, e a 01 de agosto, na discoteca B-Leza).

"A batalha de Tabatô" deverá estrear-se também no circuito francês, no final de agosto. Bélgica e Alemanha são outras das paragens previstas para a longa-metragem, que João Viana quer levar também à Guiné-Bissau.

Nascido em Angola, em 1966, João Viana é autor das curtas "Alfama", que competiu em Clermont-Ferrand, e "A Piscina", selecionada para Veneza, além do vídeo "A verdade inventada", sobre Manoel de Oliveira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG