Vaidoso e com razões para isso

Passear na rua com estilo, confiança e orgulho não é para todos, mas há quem tenha um je ne sais quoi de fazer parar o trânsito.

Alguém que o deslumbre em todos os aspetos pode ser raro, mas, existe uma gama de modelos Volkswagen que chega perto desse feito, aliando uma vertente desportiva, adequada ao ritmo alucinante da cidade, a um estilo sofisticado, a que ninguém ficará indiferente. Desfilando pelo asfalto como uma pérola de bom gosto, a gama GTI trará olhares extasiados e bocas admiradas.

As estradas vão tornar-se mais encantadoras com uma presença intensa e vibrante, a que ninguém vai ficar indiferente. A Volkswagen apresenta uma nova família de automóveis desportivos GTI. E todos os membros desta árvore genealógica são deslumbrantes, cada um com uma personalidade única e marcante. Afinal, esta gama é o resultado de um aprimoramento entre segurança, eficiência e design.

up! GTI - Citadino e jovem

Altamente jovial e feito a pensar na cidade, o up! é um automóvel leve, citadino por excelência, ideal para o passear pela agitação da cidade e também pelas autoestradas, pois os seu motor de 115cv, não o deixa ficar mal. O suporte de ligação maps + more, no up! permite ligar o seu smartphone ao automóvel, enquanto o diabo esfrega um olho (invejoso).

Versátil e temperamental como um jovem, pode configurá-lo ao seu gosto: escolher entre diversas cores interiores e exteriores. Além disso, possui um sistema de som cristalino, com um amplificador de elevada qualidade que o vai fazer mergulhar na sua música favorita, (quase) como se estivesse numa discoteca particular.

Polo GTI - O melhor primeiro desportivo de sempre?

O novo Polo GTI é uma excelente opção para um primeiro desportivo: extremamente seguro e fiável. Exiba-o da mesma forma que o Polo desfila, orgulhosamente, com o seu logótipo GTI à frente e atrás, um carimbo de excelência que o demarca de todos os outros. Possui uma dualidade que vai adorar: um motor TSI poderoso com 200 cv, mas contido em termos de consumos.

Caso detete uma situação de risco de colisão, o sistema Front Assist emite um sinal sonoro e visual para o avisar, para que possa preparar-se para uma possível travagem de emergência. Mas, os seus dotes não ficam por aqui. A grelha de radiador em forma de favo de mel, o volante desportivo em couro, e com costuras em vermelho, tornam-no digno de qualquer piloto. Além disso, pode optar pelo teto panorâmico, para abrir e fechar conforme lhe apetecer.

Golf GTI - Para a família, mas com uma boa dose de adrenalina

Já o Golf GTI atende às necessidades familiares sem deixar de ser um lobo da estrada. O bloqueio do diferencial do eixo dianteiro e a direção progressiva permitem-no fazer de modo seguro e confiante as curvas mais sinuosas. As jantes de liga leve lembram o seu lado desportivo e o motor com 245 cv de potência sacia a adrenalina de qualquer condutor.

Já o Traffic Jam Assist, opcional, apela ao seu lado mais calmo e ponderado: ajuda-o acalmar os nervos durante o trânsito mais desesperante, já que lhe permite evitar as situações típicas de congestionamento. Os bancos desportivos em xadrez e o pormenor das capas dos pedais em aço inoxidável refinam o seu aspeto, reafirmam o seu charme.

Agora que foi apresentado a estes três belos exemplares, responda-nos: esta vaidade que corre nas suas veias é, ou não, mais do que justificada?

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.