Mais de 15 mil passaram no espaço Placard antes da Final da Taça

Fair play dominou festejos antes do jogo. Muitos testaram a sua perícia no ténis e no basquetebol, as novidades disponíveis no recinto.

Verde e azul, mas sem receio de as cores se misturarem. Assim foi a festa que antecipou a final da Taça de Portugal, entre o Sporting Clube de Portugal e o Futebol Clube do Porto. Falamos da Taça de Portugal Placard que, pelo quarto ano consecutivo, "marca golos" no Jamor. Pelo recinto, com cerca de 200 metros quadrados, passaram adeptos de ambos os clubes e, quantas vezes, os rivais apareceram de "mão dada".

Abraçados mesmo, chegaram Paulo Sousa e a filha, Iris Sousa. E se os cachecóis eram metade verdes e metade brancos, já as T-shirts não deixavam margem para dúvida: Paulo é sportinguista e Iris portista. Mas o convívio é salutar. "Lá em casa é tudo na desportiva. Eu e a minha outra filha somos do Sporting e a mãe e a Iris são do Porto. Por isso, logo que ficámos apurados, comprei os bilhetes de avião para virmos da Suíça assistir ao jogo", conta este fabricante de sondas medicinais, que no jogo Placard, dos Jogos Santa Casa, apostou na vitória dos leões. A filha não tem dúvidas que é o clube azul e branco que vai ganhar por 3 - 1, e o único marcador vai ser Herrera, "para ter uma despedida em grande". "Ahahah, já foste!", diz-lhe o pai com carinho.

Na Zona Sul, onde se concentraram os adeptos dos dragões também encontrámos uma família com elementos dos dois clubes. Cada um identificado com as devidas pituras de rosto e as camisolas. Maria João Ferreira é portista ferrenha. Ela salta, canta e dança ao som do hino do FCP. "É obrigatório ganharmos este jogo para compensar o campeonato", frisa, apoiada pelos dois sobrinhos do mesmo clube. Mais reservado está o marido Filipe Pereira, que não tem dúvidas que o Sporting vai ganhar. Adversários mas unidos, posam alegremente para a fotografia junto a uma das duas réplicas da taça.

Agarrados à outra imitação, que se encontra na zona Placard, encontrámos cinco membros da JuveLeo de Odivelas. Patrícia Duarte garante, do alto dos seus 20 anos, que "o Sporting vai ganhar. É que nem há outra hipótese. Estamos aqui desde madrugada para apoiar os jogadores, como fazemos sempre, em Portugal e no estrangeiro", esclarece a jovem que, antes de fazer a sua aposta no jogo Placard, testou as novas modalidades de diversão no recinto: o ténis e o basquetebol (ver texto ao lado). Por ter encestado, ganhou uma t-shirt. Estas novidades introduzidas, este ano, pelos Jogos Santa Casa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa são bem vistas pelos jovens desta claque, já que "desporto não é só futebol".

Prova disso é que tanto para medir a velocidade do serviço no ténis, como para encestar no basquete, os participantes foram mais do que "aqueles que à partida se esperavam". Segundo fonte da organização, "quem aderiu realizou todas as provas: serviço, encestar, marcar golo e posar para a foto com a taça". No final, todos ganharam brindes para registar o momento.

Registos, mas estes para a vida, são as várias tatuagens alusivas aos dois clubes e que "desfilaram" pelo Jamor. "Sporting sempre" e "FCP sempre", foram as explicações dadas por dois adeptos (um de cada clube) para terem carimbado na pele as suas eternas paixões. Até, porque "não se muda de clube".

Que o diga Aida Fernandes, que há 71 anos (tantos quantos tem) é do Sporting. Esta mulher apareceu e, de pronto, centrou nela todas as atenções, devido ao seu vistoso figurino sportinguista. Numa demonstração de fair play, de imediato, dois portistas teceram-lhe elogios e fizeram questão de tirar fotografias com a adversária vestida de verde da cabeça aos pés. "Sou do Sporting desde que me lembro de ser gente", diz exibindo o vestido e a sombrinha verdes, com apontamentos de renda branca, confecionados pela própria. A paixão pelo clube de Alvalade é tal que, o toque do telemóvel é o hino leonino e Aida promete pintar o cabelo de verde como a sua autora, Maria José Valério, se o Sporting ganhar. Se ganhar o Porto, haverá também quem tenha feito as suas promessas.

E lá seguiram, uns e outros, para o recinto onde se joga a habitual guerra de nervos e de onde uns saem mais felizes que outros.

SUB: Futebol de braço dado com basquetebol e ténis

Este ano e pela primeira vez, paralelamente à festa do futebol, homenageou-se também o basquetebol e o ténis. Na prática, e na antecipação do jogo da Final da Taça e Portugal, os adeptos tiveram a oportunidade de desfrutar de várias atividades proporcionadas pela Taça de Portugal Placard.

No espaço de ativação, houve duas novidades. À disposição de todos esteve uma tabela com cesto onde os fãs do basquetebol, e não só, testaram a sua perícia a encestar. Já para os adeptos do ténis, um velocímetro mediu a velocidade do serviço nesta modalidade que todos os anos marca presença em grande escala no Estádio do Jamor, aquando do Estoril Open.

Relativamente ao futebol, o protagonista da grande festa, o foco de atenção foi mais uma vez o camião Placard, onde foi possível fazer apostas até cinco minutos antes do início do jogo Sporting - Porto. Mas estas, sublinhe-se, só podiam ser feitas por adeptos com mais de 18 anos. Jogos a dinheiro, como o Placard (que permite apostas em 11 modalidades desportivas), são só para adultos.

Solidariedade em ação

Em simultâneo às apostas decorreram atividades que puseram à prova os dotes físicos e a sabedoria futebolística de muitos. Uns preferiram testar a sorte na marcação de penáltis, outros tirar uma foto com uma réplica da taça (havia duas, uma no espaço de ativação e outra no topo sul, onde estavam os adeptos do Futebol Clube do Porto).

Para testar os conhecimentos sobre a modalidade, esteve lá um quiz com perguntas sobre o futebol e sobre a política de jogo responsável, uma das "bandeiras" dos Jogos Santa Casa, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Esta, em parceria com a Federação Portuguesa de Futebol, desenvolveu ainda duas ações que privilegiam utentes da instituição: 24 pessoas portadoras de mobilidade reduzida assistiram ao jogo na bancada construída para o efeito e 25 crianças da instituição entraram em campo acompanhadas dos seus ídolos. Após o apito final e a entrega da Taça de Portugal ao vencedor, foram atribuídos dois galardões: o prémio Fair Play e Homem do Jogo.

Ler mais

Exclusivos