PT vai pagar o maior dividendo de sempre a accionistas

O pagamento antes do fim do ano fica isento de nova taxa de 29%. Primeiro- -ministro e ministro das Finanças contestam

É o maior dividendo de sempre pago em Portugal. A PT, que ontem anunciou lucros de 5618 milhões de euros até Setembro, vai entregar aos accionistas um total de 1500 milhões de euros em dividendos extraordinários, na sequência do negócio da venda da sua posição na Vivo. E os cinco grandes accionistas portugueses, GES, CGD, Ongoing, Visabeira e Controlinveste, vão receber já em Dezembro cerca de 397 milhões de euros (ver caixas), sem contar com os dividendos normais.

Está em causa um valor de 1,65 euros por acção, sendo que um euro será pago já em Dezembro deste ano, como adiantamento dos lucros de 2010, e os restantes 0,65 cêntimos em Maio de 2011. A rendibilidade do dividendo é de 15%, atendendo à cotação actual.

Já quanto ao dividendo ordinário, que se soma ao anterior, a proposta de remuneração accionista é de 0,65 cêntimos para este ano e o próximo, indo 13% mais longe do compromisso inicial da empresa. Tão ou mais expressivo do que este aumento é a proposta que o conselho de administração da PT irá apresentar no sentido de aumentar de 3% a 5% o dividendo por acção para o período de 2012 a 2014. Trata-se, no fundo, de prestar uma garantia de remuneração ao longo de cinco anos, apesar da difícil conjuntura económica e financeira. Só nos próximos três anos serão mais 3,1 mil milhões. Não é, pois, de estranhar que os analistas aplaudam a estratégia de remuneração accionista de Zeinal Bava, com o BPI a recomendar a compra de acções da PT e a fixar- -lhe um preço-alvo de 11,20 euros aos níveis de Julho de 2000, e o Banif a chegar aos 12,67 euros.

O ministro das Finanças vê com desconfiança a decisão de avançar dividendos extraordinários já este ano, insinuando uma fuga aos impostos. "Há uma diferença entre pagar os dividendos este ano e pagar no próximo ano; se pagar já vai beneficiar de um conjunto de isenções fiscais que em 2011 já não estarão em vigor com o Orçamento aprovado, daí poder de facto transmitir a ideia de que está a fugir ao pagamento de impostos no próximo ano", observou Teixeira dos Santos à tarde. Na entrevista à TVI, à noite, o primeiro-ministro disse mesmo que tal terá se ser repensado pela PT (ver pág. 5). Com a nova taxa sobre os dividendos, os accionistas terão de pagar, a partir de 2011, 29% ao Estado. A PT já tinha admitido a possibilidade deste dividendo extraordinário aquando da venda da Vivo. Os resultados superaram as expectativas dos analistas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG