Portugueses fogem do País nas férias da Páscoa

Pacotes turísticos nesta época atingem valores do ano passado. Operadores do sector dizem que o Brasil e Cuba estão no topo das preferências dos portugueses.

Prevendo-se que o País vá continuar deprimido com os problemas da dívida, agravados por uma crise política nascida de um PEC IV que um Governo minoritário não conseguiu ver aprovado, o melhor é fugir para espairecer. Este parece ser o pensamento de muitos portugueses que planeiam deixar o País durante a Páscoa. Enquanto as gerações mais novas, por não terem perspectivas de futuro, resolvem, definitivamente, a sua vida fora de Portugal, estes portugueses fazem o esforço de o deixar pelo menos durante uma semana a 15 dias. Tanta crise cansa e destinos de proximidade como Cabo Verde ou de calor como Cuba são os eleitos para o próximo período de férias da Páscoa, para recuperar forças, que o ano adivinha-se difícil.

Ao DN, João Passos, presidente da Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT), confirma que até agora há muitos portugueses a planear ir para fora, enquanto outros fogem cá dentro para o Algarve ou, um pouco mais longe, para a Madeira. Depois de ter auscultado alguns dos maiores operadores de mercado e advertindo que ainda é cedo para quantificar, o presidente da APAVT diz que, "na generalidade, a operação da Páscoa será, no mínimo, igual ou ligeiramente superior à do ano passado".

"A data da Páscoa, isto é, o mês da mesma, afecta pela postiva ou negativa destinos e procura.No entanto, no geral, a procura é superior à do ano anterior", diz fonte da Top Atlântico, uma das maiores agências a operar no mercado português.

"No topo das preferências destacamos o Brasil e Cuba e, em termos de destinos mais próximos, a Disneyland Paris tem tido uma excelente procura, uma vez que nesta altura do ano muitos pais fazem coincidir as suas férias com as férias escolares dos filhos", refere a mesma operadora.

Destinos aliás confirmados ao DN por João Passos, que revela que os primeiros voos charter para Cuba já estão cheios e Cabo Verde, um clássico nestas alturas, já está esgotado. "É quente, fica perto e não é caro", frisa o presidente da APAVT, que acrescenta a Disneyland Paris e destaca ainda o circuito da Europa Central, onde se incluem a Croácia, mas também a Madeira e os Açores. "A Madeira está a recuperar bem", diz o mesmo responsável, apontando, tal como a Top Atlântico, o Algarve, em relação ao qual tem "boas expectativas".

Revelando que as reservas de viagens, "com a natural evolução do mercado, tendem a passar do last minute para o early booking, até pela cada vez maior adequação entre a oferta e a procura", fonte da Top Atlântico dá exemplos de quanto pode custar um pacote especial Páscoa para o Brasil (Maceió - Maragori), com partida a 18 de Abril: desde 1189 euros por pessoa - inclui passagem aérea Lisboa-Maceió-Lisboa; transferes; sete noites de estada em regime de alojamento e pequeno-almoço; visita à cidade e praia do Francês; IVA; taxas e seguro multiviagens.

Já para a Disneyland Paris, o preço vai desde os 861 euros por pessoa, incluindo passagem aérea Lisboa-Paris-Lisboa; transferes; três noites de estada com alojamento e pequeno-almoço; entrada nos parques, IVA, taxas e seguro.

E as propostas multiplicam-se. Basta aceder aos sites das agências - uma reserva com alguma antecedência é sempre preferível, pois não só fica com mais tempo para a pagar como os preços tendem a ser mais competitivos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG