Janeiro aumenta inscrições em 6,8%

? Depois de estabilizar em Dezembro, o número de inscritos nos centros de emprego aumentou 6,8% em Janeiro e 25,1% face a igual período do ano anterior, fixando-se em 560 mil, revelou ontem o boletim do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). Apesar de os dados revelarem uma tendência de agravamento, o IEFP refere que as ofertas de emprego aumentaram 4,9% face a Dezembro e 30% face ao mesmo mês de 2009. Enquanto os partidos da oposição não perderam tempo para reclamar um novo modelo económico, que aposte menos no investimento público e mais no apoio às empresas, a CGTP chamou a atenção para o drama dos desempregados sem acesso a subsídio de desemprego, pois só cerca de 34% é que o recebem. Por outro lado, a Intersindical chama a atenção para o facto de haver mais de 73 mil trabalhadores que não foram considerados nas estatísticas, os chamados inactivos disponíveis - apesar da sua vontade para trabalhar- e mais de 67 mil empregados com horários reduzidos que queriam mais horas. Assim, "a taxa real de desemprego seria de 12,44%".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.