Famílias em apuros quase duplicam

O número de famílias sobreendividadas que pedem auxílio não pára de aumentar.

Em Maio, os processos chegados aos gabinetes de apoio aos sobreendividados (GAS) da Associação de Defesa do Consumidor (Deco) cresceram 88,3% face ao número de casos iniciados em igual mês do ano passado. Foram 403 os pedidos de auxílio entregues aos técnicos desta associação no último mês, contra 214 em Maio do ano passado.

O agravar da situação económica, com os cortes salariais e a deterioração das condições laborais, a somarem-se à subida do desemprego, está a empurrar cada vez mais famílias da classe média para aflitivas situações de incumprimento crescente. Entre estas, começam a aparecer cada mais funcionários públicos, que perderam parte dos seus salários e prestações sociais, como referiu ao DN Natália Nunes, responsável pelos GAS da Deco.

Nos primeiros cinco meses deste ano, 1864 famílias em dificuldades já pediram auxílio a esta associação. Este número corresponde já a 65,7% do total de processos instaurados ao longo de 2010.

Os valores registados entre Março e Maio deste ano, com mais de 400 processos por mês, são os números mensais mais elevados desde 2000, ano em que a Deco iniciou a sua prestação de auxílio aos sobreendividados.

O agravamento do sobreendividamento até Maio está a atingir maior expressão na região Norte e no Algarve, como alertou igualmente Natália Nunes. Na primeira, a subida no número de processos (125) face a Maio do ano passado foi de 81%, contra 37,6% na região de Lisboa. No caso do Algarve, embora o número de processos seja reduzido (42), representam um aumento de 300% face ao mês homólogo do ano passado.

As causas que motivaram os pedidos de auxílio da Deco são essencialmente o desemprego, em 29,7% dos casos, a deterioração das condições laborais (23,4%) e a doença (17,5%). O agravamento do custo do crédito foi a causa do sobreendividamento para 5,6% dos pedidos de auxílio.

Associada a estas causas, a elevada taxa de esforço destas famílias faz espoletar a situação de sobreendividamento. Em média, cada família sobreendividada que pede auxílio tem cinco créditos a pagamentos, sendo que 12,5% destes pedidos de auxílio provêm de agregados onde existem entre oito a dez créditos.

Além dos processos de auxílio iniciados pela Deco em Maio, esta associação recebeu 2332 contactos (escritos, pessoais e telefónicos) de pessoas que pretendem saber como resolver a sua situação. Ou seja, são quase o dobro dos mesmos contactos efectuados em Maio do ano passado.

Exclusivos