Autores

"O CDS tem um discurso de esquerda que só pode dar num desaire eleitoral"

PremiumPedro Borges de Lemos, que lidera a corrente de opinião CDSXXI, que se diz alicerçada na democracia-cristã, afirma em entrevista ao DN que teme a "insolvência" do partido no pós-legislativas. Assunção Cristas não tem conseguido ter o talento de Paulo Portas para gerir as incoerências do seu discurso, garante o militante, muito crítico da atual direção. O que, frisa, tem afastado o eleitorado de direita.

Constitucionalistas criticam Marcelo por ignorar o TC

PremiumJá passaram mais de três anos de mandato e o Presidente da República ainda não mandou uma única lei para fiscalização do Tribunal Constitucional (TC). Constitucionalistas ouvidos pelo DN consideram que esta "atitude inédita" de Marcelo Rebelo de Sousa "desvaloriza" aquele órgão de soberania. No final desta legislatura, o diploma sobre a gestação de substituição é o último teste para saber se o inquilino de Belém dispensa mesmo o julgamento dos juízes do Palácio Ratton.

Uma costureira, um sexólogo e a nossa generosidade

Numa redação de colegas doutos e experientes, eu, jovem jornalista, fui atirada às feras. Enviada ao Porto para cobrir um congresso de sexologia - tema apelativo mas sem especialistas ou voluntários para o tratar -, cheguei à estação de São Bento muito em cima da hora. Quando tudo podia correr mal, com um frio de rachar, do meu casacão caiu o único botão que impedia o vento gélido de me enregelar. Corri para a Baixa e entrei numa retrosaria esbaforida. Contei a minha desgraça à empregada de balcão e pedi um carro de linhas e uma agulha.

Rui Rio. Ruturas, jogadas arriscadas e promessas seguras

PremiumAs duas últimas semanas foram um carrossel para o líder do PSD. Jogou nomes "arriscados" para cabeças-de-lista do partido em vários distritos. Foi elogiado, até pelos adversários internos por isso. Avançou com a promessa de uma valente descida de impostos caso ganhasse eleições. E só no final se soube que um dos seus vice-presidentes, Manuel Castro Almeida, bateu com a porta porque se sentiu "desconsiderado" e divergente com a estratégia de Rui Rio.