Uma viagem à história e aos bastidores dos Xutos & Pontapés

Rolando Rebelo foi a sombra dos Xutos durante cinco anos. Dos concertos, das conversas, da partilha, nasceu um volume que começa em 1971 e percorre a vida da banda.

Para conhecer bem os Xutos & Pontapés é preciso recuar no tempo. Em 1971, Zé Pedro foi com o pai à primeira edição do Cascais Jazz, onde assiste aos concertos de Miles Davis e Keith Jarrett. Em 1973, Tim recebeu a sua primeira guitarra, trazida de Espanha pelos pais. Em 1974, Kalú comprou a sua primeira bateria, uma Tama Singstar, por cinco contos. Para a pagar, arranja trabalho, primeiro a embalar fruta e em seguida a descascar alhos. Em 1975, João Cabeleira começa a debitar os primeiros acordes na guitarra acústica da irmã. Nesse ano, Zé Pedro compra a sua primeira guitarra, uma Kawai, e começa a escrever crítica musical no suplemento Mosca, do Diário de Lisboa. Este foi realmente o início de tudo. Estas e outras histórias do Xutos e dos seus elementos estão contadas no livro Aqui Xutos & Pontapés - Nos Bastidores da Maior Banda de Rock Portuguesa, de Rolando Rebelo, agora editado pela Oficina do Livro.

Nos últimos cinco anos, Rolando tornou-se uma sombra do Xutos. Assistiu a inúmeros concertos, gravou horas e horas de conversas, partilhou momentos especiais. "Pude assistir aos concertos do palco, do ponto de vista deles, o que é completamente diferente. Ver aquela alegria do público é algo que se torna quase viciante. E depois dos concertos, naqueles momentos de descontração, surgem conversas e histórias que não posso publicar..."

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG