Uma Casa da Arquitetura e uma revolução em curso

Em 2017 são vários os novos edifícios que vão surgir no País. Carrilho da Graça assina revolução urbana em Lisboa

Terminal de Cruzeiros de Lisboa e a requalificação do Campo das Cebolas são dois dos projetos que vão marcar 2017. Ambos têm a assinatura do arquiteto Carrilho da Graça. Mas há mais. Num ano que será muito marcado pela reabilitação urbana, Portugal terá uma Casa da Arquitetura em Matosinhos. As portas abrem-se a 16 de junho e o edifício da Real Vinícola, após intervenção do arquiteto Guilherme Machado Vaz, vai ser uma montra do trabalho que se faz em Portugal.

O ano novo traz edifícios a cheirar a tinta fresca que prometem ser uma marca forte na paisagem. Como o Terminal de Cruzeiros, que vai trazer nova relação com o Tejo na zona de Santa Apolónia. "A estrutura do terminal está quase completa, faltam as fachadas de betão", explica Carrilho da Graça. Nos próximos dias serão feitas experiências para o novo betão a usar na obra, que será mais leve porque tem incorporado cortiça. "Fica um branco amarelado, parece taipa, vai ficar impecável." Já no Campo das Cebolas, a obra segue com equipas de arqueólogos no terreno, atentas a cada achado que vai surgindo e, depois, incluído no projeto: "é um labor permanente", diz, satisfeito, o arquiteto.

Lisboa e Porto vão assistir ao desvendar de fachadas recuperadas em muitos edifícios dos seus centros históricos. É o caso do Palácio Faria, no Príncipe Real, em Lisboa, com assinatura de Eduardo Souto Moura, destinado a habitação. Ou de um palacete em frente à Alfândega do Porto, do ateliê Menos é Mais, com apartamentos para aluguer de curta e média duração.

"Há muita reabilitação urbana, o core business é reabilitação", confirma o arquiteto Nuno Sampaio, diretor da Casa da Arquitetura e autor da intervenção na Quinta do Moinho Velho, em Castelo Branco, entre outros projetos que vão ver a luz do dia em 2017.

Em Matosinhos, a recuperação do palacete Visconde Trevões dá lugar à Casa da Memória, o novo museu municipal, num projeto da arquiteta Ana Crista. Outro palacete com novo uso é a Quinta do Bom Pastor, na estrada da Buraca, que vai receber a nova sede da Conferência Episcopal Portuguesa, após intervenção do arquiteto portuense Nuno Valentim.

A central da barragem de Foz Tua, também projetada por Souto Moura, será inaugurada em 2017, assim como outra obra do Pritzker, a remodelação da Casa do Cinema Manoel de Oliveira, no Porto (que vai receber a sede da Fundação Sindika Dokolo), confirmou o ateliê ao DN.

O ateliê Risco, responsável pelo projeto do recinto da Expo"98 e pela Cidade do Futebol, em Oeiras, assina agora a requalificação da frente ribeirinha do Seixal. Um trabalho para a autarquia, que assim cria uma zona pedonal junto ao rio.

Em junho abre a Casa da Arquitetura, em Matosinhos. Um dia, alguns destes projetos ali terão lugar. É na Casa da Arquitetura que o trabalho dos arquitetos portugueses vai ter um lugar permanente.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG