"Rocky", o musical, estreia-se na Broadway

O primeiro filme da série foi adaptado aos palcos da Broadway pelo próprio Sylvester Stallone. A produção do espetáculo ultrapassou os 14,3 milhões de euros.

Estreou-se recentemente no Winter Garden Theatre, na Broadway, o musical Rocky, inspirado no primeiro filme da série protagonizada por Sylvester Stallone. O ator é um dos produtores e argumentistas deste musical, que mereceu largos elogios da imprensa na estreia.

David Rooney, jornalista da Hollywood Reporter, escreveu recentemente: "A luta final é tão visceral e emocionante que deixa o público em êxtase". Já Marilyn Statio descreveu o espetáculo como "uma brilhante peça de encenação".

Antes de chegar aos palcos da Broadway o espetáculo já tinha estreado em Hamburgo, na Alemanha, em novembro de 2012. Já na altura a peça foi elogiada plea crítica, lembra a BBC.

Veja aqui imagens do musical:

Sylvester Stallone escreveu esta peça juntamente com Thomas Meehan (Os Produtores), Lynn Ahrens e Stephen Flaherty (ambos de Ragtime). Alex Timbers (do musical Peter and the Starcatcher) é o encenador. No papel do pugilista Rocky Balboa está o ator Andy Karl, que tem trabalhado essencialmente em peças da Broadway e que há dois anos participou na longa-metragem Hino da Alegria (2012).

Segundo o New York Times, o musical teve um orçamento de produção superior a 20 milhões de dólares (14,3 milhões de euros).

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.