A resistência possível num "cabaret" do Bairro Alto

Maria Rueff e Sofia Portugal protagonizam Cabaret Alemão, um espetáculo de café-teatro, que estará em cena a partir de amanhã no Teatro do Bairro, em Lisboa.

Imagine-se uma "situação absurda": Portugal foi invadido por uma potência estrangeira; Lisboa é uma cidade ocupada pelos alemães; o País perde a sua autonomia. E nesta cidade ocupada, um grupo de gente subversiva reúne-se num cabaret escuro, em pleno Bairro Alto, para discutir o que fazer. Entre as notas de um piano e umas canções. Foi assim que nasceu o Cabaret Alemão.

O encenador António Pires e a atriz Maria Rueff estavam a trabalhar juntos na comédia Lar Doce Lar quando começaram a ter ideias para este espetáculo. A eles rapidamente se juntou a atriz Sofia Portugal. Antes de mais, "surgiu a vontade de fazer um espetáculo político", conta o encenador. "A agressão que nós enquanto artistas sentimos, pois somos maltratados e ignorados, o que às vezes ainda é pior, e a nossa falta de jeito para fazermos manifestações e nos organizarmos com sindicatos, como classe, faz que utilizemos o que temos à mão, que é fazer espetáculos, para dizer o que nos vai na alma." Foi assim que surgiu esta ideia da ocupação e do medo. "Uma pura ficção", diz, entre risos, António Pires.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.