Taylor Swift pode ser a rainha dos Video Music Awards?

A cantora não está nomeada, mas apresenta teledisco novo esta noite na gala de entrega dos prémios para os melhores vídeos. Kendrick Lamar é o mais nomeado. Oito vezes.

A mais recente canção de Taylor Swift, Look at What You Made Me Do, foi lançada na semana passada e a sua letra tem merecido mais atenção do que um soneto de Camções nas aulas de português. Serão as suas palavras indiretas ao rapper Kanye West com quem tem uma longa história de desentendimento? Ou serão indiretas a Katy Perry, que esta noite apresenta a cerimónia de entrega de prémios na Califórnia a partir das 20.00 locais (01.00 em Portugal Continental)?

Por esta altura, a escassas horas do início do espetáculo, ainda não é certo que a cantora marque presença na festa e se haverá choque com a apresentadora de serviço, que prepara uma atuação a zero gravidade.

Kendrick Lamar é o artista mais nomeado desta edição. O seu nome aparece em oito categorias, incluindo a de vídeo do ano para a canção Humble.

Compete com Bruno Mars e a sua 24K Magic, DJ Khaled e Rihanna com Wild Thoughts, the Weeknd e o tema Reminder e Alessia Cara com Scars to Your Beautiful.

Lamar atua na cerimónia assim como Ed Sheeran, Miley Cirus, Shawn Mendes, Lorde, Fifth Harmony, Thirty Seconds to Mars. Rod Stewart atua em diferido de Las Vegas com uma nova versão de Do Ya Think I' m Sexy. Demi Lovato também entra em diferido na festa. Pink recebe o prémio Michael Jackson de Vanguarda e apresenta novo single no espetáculo.

Esta tem sido uma cerimónia de entrega de prémios pródiga em criar momentos que ficaram na história da música pop: o beijo entre Madonna e Britney Spears ou twerking de Miley Cirus quando muitos ainda lhe chamavam Hannah Montana.

Nesta edição, a MTV eliminou as categorias separadas por género. Já não existe melhor vídeo feminino ou masculino. Apenas melhor artista do ano. Os nomeados são Kendrick Lamar, Ed Sheeran, Ariana Grande, Lorde, the Weeknd.


O outro motivo de controvérsia nesta noite é a ausência do vídeo com visualizações da cerimónia, Despacito, de Luis Fonsi e Daddy Yankee. A MTV diz que a editora não submeteu o teledisco para competição, a Universal garante, por seu turno, que nunca lhe foi pedido.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.