Siza Vieira e Carrilho da Graça debatem Le Corbusier

Dia 16 às 18.30 no Museu da Eletricidade, em Lisboa.

Um debate sobre a relação entre os arquitetos e os livros, com a participação de Álvaro Siza e Carrilho da Graça, realiza-se a 16 de novembro, em Lisboa, no âmbito do cinquentenário da morte do arquiteto Le Corbusier.

Intitulado "Le Corbusier, os arquitetos e os livros", o debate está marcado para as 18:30, no auditório do Museu da Eletricidade, em Lisboa, organizado pela Livraria A+A para celebrar o cinquentenário da morte do arquiteto de origem suíça.

De acordo com a livraria especializada em arquitetura, o debate tem a participação de Álvaro Siza Vieira, João Luís Carrilho da Graça, Juan Calatrava Escobar, Jorge Torres Cuenco, e María Candela Suárez, com moderação de Marta Sequeira.

O objetivo é "criar um palco de discussão alargada entre alguns dos mais prestigiados especialistas na obra 'corbusiana', bem como alguns dos mais importantes arquitetos contemporâneos, sobre a relação entre a produção arquitetónica e os livros".

Le Corbusier (1887-1965), de origem suiça e naturalizado francês, é essencialmente reconhecido como arquiteto e pintor, apesar de se auto intitular, desde a sua juventude e no seu próprio bilhete de identidade, como "homem de letras".

A A+A aponta que tem sido desvalorizada a faceta de Le Corbusier como amante de livros -- sendo que a sua biblioteca pessoal, conservada pela Fundação Le Corbusier, contém cerca de 1600 livros sublinhados e anotados, de vários autores --, bem como a sua produção escrita e editorial, de mais de três dezenas de obras.

Acrescenta ainda que, 50 anos passados após o desaparecimento deste arquiteto, poucos têm sido os estudos sobre a relação, em geral, entre a produção arquitetónica e os livros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG