"Simplicidade" foi chave para vitória em família

Oito anos depois de perder um "Ídolos", Salvador Sobral, que trocou a psicologia pela música, vence o concurso com um tema composto pela irmã, Luísa. Uma atuação que se tornou viral e que fez disparar o seu disco no iTunes.

Amar Pelos Dois é o título da canção que representará Portugal em Kiev, na Ucrânia, no início de maio, na Eurovisão. E foi a dois que se fez a vitória no Festival RTP da Canção, que decorreu este domingo no Coliseu dos Recreios, com dois irmãos ao comando: Salvador Sobral na voz e Luísa Sobral como letrista e compositora.

A balada foi a preferida, de entre oito finalistas, e reuniu a maior pontuação, com os votos combinados do público com o júri distrital. A chave para a vitória? A simplicidade. "A canção é de uma simplicidade, de uma beleza tão incríveis que é impossível as pessoas não ficarem tocadas", revelou, no rescaldo do festival, o lisboeta de 27 anos.

Salvador Sobral chegou a estudar psicologia mas a paixão pela música falou mais alto. O público português conheceu-o em 2009, como um dos concorrentes da terceira edição do concurso Ídolos, da SIC, mas foi a estudar música em Barcelona e nos EUA que se encontrou como músico. Com a Eurovisão à vista, Salvador Sobral está mais concentrado na emoção e menos numa possível vitória. "Ganhar? Não sei. Se estou confiante? Não sei. Vou passar sentimentos às pessoas, isso é o que eu vou fazer. Quero que o público sinta a canção como eu a senti na primeira vez que a ouvi, quando a minha irmã ma mostrou. É um tema lindo. As pessoas precisam de ouvir esta canção", avança, orgulhoso, o cantor.

Para além de a sua atuação na semifinal do festival se ter tornado viral nas redes sociais, somando quase meio milhão de visualizações no YouTube, e de se ter assumido ontem como um dos trending topics no Twitter no nosso país, o efeito do concurso também se fez ver no iTunes Portugal, que viu o seu álbum de estreia, Excuse Me, que explora as sonoridades do jazz e que foi lançado há um ano, disparar, chegando ao top 5 de vendas nesta plataforma. Mas não só. Este sábado, Salvador Sobral já tinha esgotado o Centro Olga Cadaval, em Sintra, com o seu concerto. "Só tenho a agradecer ao festival", frisa o cantor, que tem em Chet Baker uma das suas principais referências.

Luísa Sobral conta que escreveu Amar Pelos Dois a pensar já na voz do irmão e revela que não serão feitas mudanças na versão que será apresentada em Kiev. Nem tão-pouco na língua cantada. "O que funcionou neste tema, para além da interpretação do meu irmão, foi exatamente a sua simplicidade. Nós gostamos de canções simples, de melodias bonitas. E cantar em inglês não faria sentido. A maneira como ele canta, a harmonia e a melodia, transcendem a letra. Aliás, nos comentários no YouTube, muitos estrangeiros dizem que gostam muito da canção sem perceberem nada [da letra]. O português traz uma sonoridade especial. Nós temos orgulho na nossa língua", adianta a cantora de 29 anos.

A vitória de Salvador Sobral no festival foi feita, de resto, poucos dias depois de o cantor ter sido operado, na sequência de uma hérnia no umbigo, estando ainda em recuperação. "As enfermeiras diziam-me: "Você não vai conseguir no domingo". Mas consegui! Foi das coisas mais difíceis que passei fisicamente. Já passei por muita dor, sábado e domingo, mas quando estou em palco, a adrenalina é tanta que tudo desaparece", revelou o representante português na Eurovisão 2017.

Festival certo em 2018

Catarina Furtado, que apresentou o Festival RTP da Canção ao lado de Sílvia Alberto, elogiou o tema vencedor. "Gosto imenso da canção. É um poema e um tema muito bonito. Um poema simples, que não precisa de grandes artifícios. Se calhar esta simplicidade é uma forma de pensarmos também na nossa vida", revelou a apresentadora do certame, que terá os seus 16 temas a concurso, apresentados nas duas semifinais, lançados brevemente num disco.

Daniel Deusdado, diretor de programas da RTP, não duvida: "A canção vencedora mostra a força das redes sociais e mostra o ciclo de viragem do Festival da Canção [que foi este ano renovado e repensado, com o convite a vários nomes da música contemporânea]. Não temos ilusões sobre resultados na Eurovisão. Podemos ir com toda a confiança para Kiev. Mas essa é a segunda coisa mais importante. A primeira é a qualidade da música. E isso já temos", frisou o responsável da estação que celebra hoje 60 anos. O balanço da edição deste ano é positivo, adianta Deusdado, que promete mais cantigas para 2018. "Estamos muito satisfeitos com a forma como correram as coisas. Para o ano far-se-á outro festival. Em princípio, com os mesmos moldes, mas ainda é cedo par a falar nisso", adiantou.

Salvador Sobral atua na Eurovisão a 9 de maio, na primeira semifinal do certame. O vencedor europeu conhece-se a 13 de maio.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG