Salva de D. Fernando II comprada para o Palácio da Pena

Pertenceu a D. Fernando II e herdada pela sua filha, D. Antónia, que vivia na Alemanha. Foi agora adquirida pela Parques de Sintra e integrará as coleções do Palácio da Pena.

A salva de aparato, em prata dourada, foi adquirida pela Parques de Sintra, para o Palácio da Pena, um dos monumentos que gere, no ano do bicentenário do nascimento de D. Fernando II.

Após a morte do pai, D. Fernando II, a peça foi herdada por D. Antónia, infanta de Portugal e princesa de Hohenzollern-Sigmaringen, na Alemanha.

A peça agora adquirida, em prata dourada, é de fabrico lisboeta, datada de 1548. "A salva, que representa a aquisição artística mais representativa feita até ao momento pela empresa, destaca-se pela elevada qualidade técnica do seu trabalho (repuxado e cinzelado) e pela erudição das cenas representadas", diz, em comunicado, a Parques de Sintra.

Os valores de aquisição não foram divulgados pela Parques de Sintra. Fonte da empresa revelou que foi adquirida ao antiquário Pedro Aguiar-Branco, em Paris, que a adquiriu num leilão em Londres, em 2012.

A peça será mostrada ao público "em breve", de acordo com o mesmo comunicado.

Uma coleção descrita e desfeita

A salva pertence à coleção de ourivesaria reunida por D. Fernando II no seu gabinete de trabalho do Palácio das Necessidades, "um dos maiores conjuntos conhecidos", segundo a Parques de Sintra. "O rei chegou mesmo a elaborar um inventário manuscrito das peças que possuía, com apreciações estéticas e informações quanto à proveniência de alguns objetos. Doado ao Palácio Nacional da Pena por descendentes da condessa d"Edla, segunda mulher do monarca, aquele documento encontra-se a ser estudado com vista à sua publicação."

Esta coleção foi desmembrada após a morte do monarca, na sequência das partilhas efetuadas pelos seus herdeiros. "Um lote significativo ficou na posse da família real portuguesa e, anos após a implantação da república, passou a integrar as coleções do Palácio Nacional da Ajuda, com algumas peças a obterem a classificação de Tesouro Nacional, avança a Parques de Sintra.

"Um estudo recentemente efetuado revelou a provável natureza nupcial da encomenda desta salva, onde sobressaem quatro medalhões (tondi), à maneira da melhor escultura do Renascimento italiano", acrescenta a Parques de Sintra. Existem poucos exemplares desta ourivesaria quinhentista. No início do século XVIII foi acrescentado um pé alto à salva.

Exclusivos