Restos mortais de Mário Cesariny vão ser trasladados a 8 de dezembro

Os restos mortais do poeta vão passar para um jazigo individual, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa. O Presidente da República deverá estar presente na cerimónia

Os restos mortais do poeta Mário Cesariny (1923-2006) vão ser trasladados para um jazigo individual, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, a 08 de dezembro, revelou neste terça-feira à agência Lusa fonte da Casa Pia de Lisboa.

Contactado pela agência Lusa, o diretor do Centro Cultural Casapiano, João Louro, indicou que a trasladação, ainda sem agenda da cerimónia totalmente definida, decorrerá no âmbito das iniciativas que assinalam o 10.º aniversário da morte do artista plástico, "grande vulto da cultura portuguesa".

João Louro indicou que, para a cerimónia, foi convidado o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e está previsto um concerto na Igreja do Cemitério dos Prazeres.

Mário Cesariny faleceu a 26 de novembro de 2006 e, desde então, encontra-se provisoriamente sepultado no Talhão dos Artistas do Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.

De acordo com João Louro, a Casa Pia de Lisboa, com o testamenteiro Manuel Rosa e a colaboração direta da Câmara Municipal de Lisboa e da Fundação Cupertino de Miranda, está a preparar a trasladação dos restos mortais de Cesariny para um jazigo no Cemitério dos Prazeres, cedido pela autarquia.

Considerado um dos principais representantes do movimento surrealista em Portugal, Mário Cesariny de Vasconcelos foi poeta, pintor, e também desenvolveu um trabalho intenso de recolha, compilação e arquivismo das atividades artísticas.

Na sequência da sua morte, veio a público a entrega, em testamento, de um milhão de euros à Casa Pia de Lisboa, valor destinado ao apoio das crianças e jovens com dificuldades sociais e económicas.

Questionado pela Lusa em setembro sobre a aplicação dessa verba, João Louro indicou que "está a ser aplicada em ações de educação e formação dos jovens" da Casa Pia, "como o artista desejou".

Ainda sobre a trasladação, o objetivo é concretizar o projeto inicial "de dar uma sepultura condigna ao artista", em colaboração com as várias instituições envolvidas.

"Os custos associados às obras de adaptação e limpeza do jazigo, que incluem a colocação de uma escultura concebida pelo amigo e testamenteiro de Mário Cesariny Manuel Rosa, serão suportados pela Casa Pia de Lisboa, estando esta instituição a desenvolver os procedimentos necessários para o efeito", assinala o responsável, num comunicado enviado à Lusa.

Mário Cesariny recebeu vários prémios pela obra escrita e plástica, nomeadamente o Prémio Vida Literária, da Associação Portuguesa de Escritores, e o Grande Prémio EDP de Artes Plásticas.

Depositou a sua obra plástica na Fundação Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG