Regressos, despedidas e estreias. Eis os concertos de 2017

O ano de 2016 ainda não chegou ao fim e são já muitos os grandes concertos agendados para o ano: Guns N'Roses, AC/DC, Aerosmith, Ariana Grande, entre outros.

A 2 de julho de 1992, os Guns N" Roses atuavam pela primeira vez em Portugal, no então Estádio José de Alvalade, em Lisboa, a bordo da controversa Use Your Illusion Tour. Essa digressão acabou por ser a última a juntar no mesmo palco Axl Rose, Slash e Duff McKagan, três fundadores do grupo. Em abril deste ano os três músicos voltaram a reunir-se enquanto Guns N" Roses para a primeira digressão conjunta em mais de 20 anos, a Not in this Lifetime... Tour, que em 2017 chega a Portugal.

A 2 de junho do próximo ano, Axl Rose volta assim ao Passeio Marítimo de Algés (depois de este ano ali ter atuado a bordo dos AC/DC) com os seus companheiros de sempre, naquele que é certamente um dos concertos mais aguardados de 2017. Só neste ano foram vendidos mais de dois milhões de bilhetes para esta Not in this Lifetime... Tour, segundo avança a promotora Everything Is New. Os bilhetes para Algés já estão à venda e podem chegar aos 1029 euros (pacote VIP que possibilita uma visita aos bastidores, subida ao palco, entrada antecipada no recinto e outros brindes).

Este regresso dos Guns N" Roses a Portugal dá o mote para um ano de concertos dominado por veteranos. Aliás, também em junho de 2017, no dia 26, Portugal receberá a digressão de despedida dos norte-americanos Aerosmith, que já não tocavam em palcos nacionais também há quase duas décadas. A última vez foi em 1999, no Estádio Nacional, no âmbito do festival T99, que teve uma única edição. Os Aerosmith dizem assim adeus aos fãs portugueses na Meo Arena, em Lisboa, uma despedida que, no entanto, pode não ser tão definitiva como se dá a entender. O próprio guitarrista Joe Perry afirmou à revista norte-americana Billboard: "Sinto que haverá uma digressão à qual nos poderemos referir como a última, mas quando é que vai acabar? Isso não consigo dizer." E acrescentou: "Honestamente, começar uma digressão em que se diz que é a última até é ok, mas pensar que haverá um último concerto dos Aerosmith? Para mim essa ideia é difícil de assimilar mentalmente." É, por isso, uma incógnita o facto de se esta Aero-Vederci Baby! European Tour é ou não a última possibilidade de ver o grupo liderado por Steven Tyler ao vivo. Os bilhetes para o concerto também já estão à venda e podem ascender a preços ainda mais elevados do que o dos Guns N" Roses, estando disponível o ingresso meet&greet por 1199 euros que possibilita aos fãs mais acérrimos conhecer e tirar uma fotografia com Steven Tyler e Joe Perry.

Quem também vem despedir-se dos admiradores portugueses são os ingleses Deep Purple, que apesar de terem previsto o lançamento do seu 20.º álbum para abril do próximo ano, apropriadamente intitulado Infinite, também anunciaram uma digressão de despedida, The Long Goodbye Tour, que passa pela Meo Arena, a 4 de julho.

Mas nem só de veteranos, reuniões e despedidas se fará o ano de 2017 de concertos. Basta referir que finalmente, a 11 de junho, Portugal receberá a novata estrela pop Ariana Grande, que traz até Lisboa as canções do muito aplaudido Dangerous Woman, terceiro álbum de estúdio que cimentou o seu lugar no mundo pop. A cantora, que iniciou o trajeto como atriz infantojuvenil do canal Nickelodeon, chegou a ter um concerto marcado na edição deste ano do Rock in Rio-Lisboa, o qual cancelou em cima da hora, com a justificação de uma infeção na garganta. E por sensivelmente metade do preço do bilhete VIP do concerto dos Guns N" Roses também será possível conhecer e tirar uma fotografia com Ariana Grande - um ingresso meet&greet vale 530 euros. Fora dos pacotes VIP, os bilhetes vão dos 30 aos 80 euros.

Antes de Ariana Grande, um outro novato subirá ao palco da Meo Arena: Shawn Mendes. Apenas um ano depois de ali ter esgotado a Sala Tejo, agora o canadiano lusodescendente de 18 anos chega ao palco principal da maior sala de espetáculos de Portugal depois da aclamação que viveu com o seu segundo álbum, Illuminate. O músico traz assim a Lisboa, a 10 de maio, as suas canções com travo a John Mayer para adolescentes.

Outro nome sensação da pop contemporânea é Bruno Mars, que há sensivelmente um mês lançou o seu terceiro álbum de estúdio, 24K Magic, disco que o traz a Portugal em 2017, com concerto marcado para 4 de abril, também na Meo Arena, o quarto da digressão mundial que arranca em março e só terminará no final de novembro em Porto Rico.

Festivais em força

O ano de 2017 volta a ser de aposta em peso nos festivais de verão. Os anúncios têm-se multiplicado nas últimas semanas com novos nomes para os cartazes que vão dominar o verão de 2017. O mais recente foi o Nos Primavera Sound, que volta ao Parque da Cidade do Porto de 8 a 10 de junho, tendo nesta semana revelado todo o cartaz através das redes sociais Facebook e Instagram. Justice, Aphex Twin e Bon Iver são alguns dos nomes em destaque, sendo de realçar a estreia do rapper britânico Skepta ou os regressos do cantor de r&b Miguel e da veterana brasileira Elza Soares (que neste ano foi uma das sensações do Vodafone Mexefest).

Nesta semana foi ainda notícia que já não há bilhetes para o primeiro dia do Super Bock Super Rock (13 a 15 de julho no Parque das Nações, em Lisboa), tudo pelo único nome até agora revelado: Red Hot Chili Peppers, um regresso depois de dez anos de ausência dos palcos portugueses.

Antes, a 6, 7 e 8 de julho, o NOS Alive, no Passeio Marítimo de Algés, recebe a estreia em Portugal de The Weeknd, além dos regressos dos Foo Fighters, The xx e Depeche Mode, sendo certo que os dois últimos têm discos novos na calha.

Em Vila Nova de Gaia, o Meo Marés Vivas já anunciou que em 2017 atuarão Sting e os Bastille, enquanto no Alentejo, no Meo Sudoeste, atuarão o (já habitué) DJ holandês Martin Garrix e os Two Door Cinema Club. Já o Vodafone Paredes de Coura confirmou neste mês os concertos de Benjamin Clementine, Foals, Ty Segall e Car Seat Headrest.

A música portuguesa estará em destaque em 2017. Logo a 27 de janeiro Aldina Duarte volta a um palco que lhe é bem conhecido, o da Culturgest, em Lisboa, com o concerto Fado: a Música e as Palavras. Um dia depois, os Deolinda celebram dez anos de carreira no Coliseu de Lisboa (celebração que continuará a 4 de fevereiro no Coliseu do Porto). Gisela João também vai regressar aos coliseus (no Porto a 31 de março e em Lisboa a 7 de abril), onde apresentará o recente Nua.