Príncipe Discos lança coletânea e continua a conquistar o mundo

A editora Príncipe acaba de lançar a sua primeira compilação em CD - depois de 15 discos de vinil - e esta semana leva a sua música a festas em Londres e Lisboa

Se olharmos só para a agenda dos próximos dias dos artistas da Príncipe Discos vemos uma noite inteiramente dedicada à editora no Institute of Contemporary Arts, em Londres (já amanhã), atuações de DJ Firmeza na Bélgica, de DJ Marfox no Japão e na Coreia do Sul, de Nídia Minaj na Suécia, de DJ Nigga Fox na Holanda ou de DJ Maboku na Dinamarca. Estes quatro anos de vida da editora portuguesa têm sido verdadeiramente fulgurantes, com cada disco que lançam a revelar novas pistas sobre uma música que foi sendo criada longe do olhar público e que de ano para ano conquista cada vez mais palcos internacionais. Agora acaba de ser lançada a primeira compilação em CD (até agora todos os lançamentos da editora foram em vinil), intitulada Mambos Levis D"Outro Mundo, e esta sexta-feira há nova Noite Príncipe no Musicbox, em Lisboa, o palco onde mensalmente os artistas desta "casa" brilham.

No final do ano passado Lloyd Gedye escrevia no jornal britânico Sunday Times: "É evidente que a música eletrónica mundial ficou mais rica graças ao trabalho da Príncipe Discos, mas também é claro que com as novas estrelas que estão a emergir, como Nídia Minaj, isto é apenas o início para este som nascido em África e afinado em Lisboa". E de facto, apesar de 2016 ser já o quarto ano de vida da Príncipe Discos e de neste período de tempo terem sido possíveis várias conquistas, a compilação que agora é editada parece querer provar que esta fonte de criatividade e inventividade é inesgotável.

Novos nomes

Ao todo são 23 as faixas que compõem este Mambos Levis D"Outro Mundo e não só encontramos nomes já bem conhecidos da editora, como os já referidos DJ Marfox, DJ Nigga Fox ou Nídia Minaj, mas também uma série de outros desconhecidos, como Puto Adriano, DJ CiroFox ou DJ Adifox. Estes dois últimos, representados com os temas Moments e Penso em Ti, respetivamente, proporcionam momentos verdadeiramente emotivos numa compilação cuja música está, naturalmente, apontada às pistas de dança, nas suas transmutações e explorações do kuduro, do tarraxo, do afro-house, mas que, na verdade, se mantêm sem definição concreta ou mesmo possível.

O que a Príncipe Discos tem vindo a fazer ao longo dos últimos quatro anos com os seus lançamentos (do seu catálogo fazem parte 15 discos) e com as suas festas mensais tem sido dar espaço e visibilidade a uma música de dança produzida nos vários bairros periféricos de Lisboa que durante demasiado tempo esteve confinada a estes bairros. Chal Ravens, da revista britânica Wire, escreveu há um ano nesta publicação que "estamos a ouvir uma sonoridade que conseguiu evoluir numa isolação relativa".

De facto, foi há sensivelmente dez anos que saiu a compilação Dj"s do Guetto, vol. 1, um disco essencial para compreender os caminhos pelos quais se tem traçado a música de dança portuguesa, mesmo que longe dos holofotes mediáticos, apesar de ter sido, na altura, partilhada vorazmente nos meios digitais.

DJ Marfox fazia parte do disco, bem como DJ Nervoso, DJ N.k., DJ Fofuxo e DJ Pausas. Este coletivo unia várias zonas da Grande Lisboa e arredores, entre as suas residências e os liceus por onde andaram - Portela, Chelas, Quinta do Mocho, Quinta da Fonte, Sacavém, Massamá, Damaia, Barcarena, Reboleira, Cacém, Queluz, Fonte da Prata, Barreiro e Paço de Arcos.

Essa compilação, que, como se escreveu quando esta foi reeditada digitalmente em 2013, "está para sempre na fundação do que faz a música de dança afro-portuguesa", foi o primeiro passo do caminho que anos mais tarde viria a ser traçado pela Príncipe Discos. Os fundadores da editora conheceram DJ Marfox em 2007, produtor que foi também abrindo muitas das portas que até então pareciam inacessíveis.

Hoje é inegável a força que este som de Lisboa tem não só no país, mas além-fronteiras. Basta ver a noite que vai ser dedicada à editora no Institute of Contemporary Arts, em Londres, esta quinta-feira, dia 28. Além das atuações de DJ Nigga Fox, Nídia Minaj e DJ Noronha (do coletivo Blacksea Não Maya), será ainda estreado o documentário Sons do Gueto, realizado pelo duo Tim & Barry, ao qual se seguirá um debate com Nelson Gomes e Márcio Matos (fundadores da editora). Estará ainda patente uma instalação com os trabalhos artísticos que Márcio Matos tem vindo a criar para os discos com o selo Príncipe.

Noites sem barreiras

Um dia depois a festa será feita em Lisboa, no Musicbox, onde mensalmente os produtores da editora se apresentam ao vivo. Estas Noites Príncipe têm sido fundamentais em trazer até ao centro de Lisboa esta música criada pelas comunidades da diáspora afro--lusófona da capital.

"A noite é uma readaptação de como deveria funcionar a sociedade no seu todo. Nas primeiras noites havia uma separação grande porque existia medo de ambas as partes. Quando se quebrou essa barreira deu-se uma mistura engraçada e acho que ainda vai crescer mais", dizia há um ano ao DN Marlon Silva, mais conhecido por Marfox. Tem sido, por isso, nessas noites no Musicbox que Lisboa tem reconhecido que existe uma música de dança, com raízes em Angola e Cabo Verde, verdadeiramente única a ser produzida na sua periferia.

Mambos Levis D"Outro Mundo já está à venda e a Noite Príncipe desta sexta-feira conta com atuações de K30, Deejay Ary, DJ Nigga Fox e DJ Babaz Fox.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG