Primeiro-ministro italiano lamenta morte de Nobel de 1997

Renzi destacou a "herança de um grande italiano do mundo"

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, lamentou hoje a morte do escritor Dario Fo, prémio Nobel da Literatura em 1997, considerando que a Itália "perdeu um dos grandes protagonistas do teatro, da cultura e da vida civil".

Renzi destacou a "herança de um grande italiano do mundo", apontando "a obra satírica, a pesquisa, o trabalho cénico e a atividade artística multifacetada".

Dario Fo, prémio Nobel da Literatura em 1997, morreu hoje aos 90 anos, noticiaram hoje vários jornais italianos.

O escritor e dramaturgo, que morreu precisamente no dia em que está prevista a atribuição do Prémio Nobel da Literatura de 2016, estava internado num hospital de Milão há alguns dias, devido a problemas respiratórios, avançaram os media italianos, citados pela agência espanhola Efe.

Escritor mas também ator, Dário Fo ganhou notoriedade internacional em 1969 com "O Mistério Bufo", uma epopeia dos oprimidos inspirada na cultura medieval.

Autor de "A Morte Acidental de um Anarquista", "A Marijuana da Mamã é a Melhor", "Casal Livre" ou "Não Devemos Pagar", Dario Fo foi um batalhador e instigador de uma rebelião contra os poderosos e os hipócritas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG