Obras de Joan Miró regressaram ontem a Portugal

Os 85 quadros de Miró do antigo Banco Português de Negócios regressaram ontem a Lisboa e encontram-se depositados num cofre-forte da Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa, disse à Lusa fonte da Parvalorem.

As 85 obras de Joan Miró estavam para ser vendidas a 04 e 05 de fevereiro, em Londres, segundo um contrato estabelecido com a leiloeira Christie"s, que acabou por cancelar a venda quando surgiram dúvidas em relação à legalidade da saída dos quadros de Portugal.

O presidente da Parvalorem, Francisco Nogueira Leite, disse, no passado dia 19, na audição na comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, que os quadros viriam de Londres para a Portugal até ao fim do mês, esta sexta-feira, e que um novo leilão iria ser realizado pela Christie's.

No dia seguinte, a leiloeira britânica anunciou o mês de junho para a realização da operação de venda das obras.

A coleção regressou ontem a Portugal e ficará no cofre da caixa Geral de Depósitos até esse leilão. Francisco Nogueira Leite afirmou, no Parlamento, que exibir as obras ao público era uma ideia que não estava em cima da mesa.

A Parvalorem, à semelhança da Parups e a Parparticipadas, foi criada em 2010 com o objetivo de gerir ativos e recuperar créditos do universo do ex-BPN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG