Obra dos arquitetos Aires Mateus é inaugurada em França

O Centro de Criação Contemporânea Olivier Debré, uma obra do ateliê português Aires Mateus, vai abrir portas ao público no dia 11 de março, na cidade francesa de Tours.

O projeto dos irmãos Aires Mateus parte de um edifício histórico, criando três espaços de exposição que jogam com a leveza das linhas de transparência e com o peso das paredes de pedra, pretendendo manter-se aberto e "em diálogo" com a cidade, explicou à agência Lusa o arquiteto Manuel Aires Mateus.

"É uma obra que parte de um edifício preexistente, em que conservámos a parte frontal, que era um grande volume e que nos interessa pela sua presença no tempo, mas também a presença naquele lugar. Esse grande volume também resolvemos homenageá-lo, transformando-o num grande vazio muito transparente e muito comunicante com o entorno, com a cidade", descreveu Manuel Aires Mateus à agência Lusa.

Os arquitetos construíram, depois, "uma extensão do edifício" com dois espaços de exposição: "Um ao nível do piso térreo, que é a chamada Black Box, um espaço para todo o tipo de atividades, e em cima um espaço de dupla altura que é uma White Box, muito grande, muito luminoso, com umas luzes vindas do céu, com luz natural."

Manuel Aires Mateus sublinhou que os "espaços são unidos por essa ideia de vazio ou de linha de luz", o que faz com que se possa "transformar num edifício muito comunicante com a cidade", com uma transparência que "podia ser a comunicação do museu com um público em geral, de um museu que funcionasse 365 dias por ano, 24 horas por dia, mesmo quando está fechado".

Ao longo de 4500 metros quadrados, o Centro de Criação Contemporânea Olivier Debré vai expor, de forma permanente, a obra do artista francês do abstracionismo lírico Olivier Debré (1920-1999) e acolher mostras de arte contemporânea internacional.

O projeto, ganho em concurso em 2012 pelo ateliê Aires Mateus, foi apresentado na exposição "Les Universalistes - 50 ans d'architecture portugaise", na Cité de l'Architecture & du Patrimoine, em Paris, no ano passado.

Os arquitetos portugueses têm em curso, em França, um projeto residencial no 17.° bairro de Paris, um projeto residencial e de escritórios no bairro Confluences, em Lyon, e um projeto misto de habitação e escritórios em Bordéus, onde o seu ateliê também ganhou o concurso para o centro muçulmano, um "projeto atualmente parado".

O ateliê Aires Mateus, fez parte da lista dos 40 pré-selecionados para o Prémio de Arquitetura Contemporânea da União Europeia Mies van der Rohe 2017, com o projeto da Sede da EDP em Lisboa, mas não figura entre os cinco finalistas, cujo vencedor será anunciado em maio, em Bruxelas.

Manuel e Francisco Aires Mateus estiveram presentes, no ano passado, na 15.ª edição da Bienal de Arquitetura de Veneza, tendo também sido selecionados para a Bienal Iberoamericana de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo, no Brasil. Em 2015, o ateliê Aires Mateus venceu o concurso internacional para criar dois museus em Lausanne, na Suíça: o Museu de Design e Arte Contemporânea (Mudac), e o Museu da Fotografia de Elysée. Em 2014, a dupla de arquitetos venceu o concurso internacional para criar a Faculdade de Arquitetura de Tournai, na Bélgica, um projeto que envolve o centro histórico daquela cidade.

Os irmãos Francisco e Manuel Aires Mateus nasceram em Lisboa, em 1964 e 1963, e formaram-se na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG