O fado merece ser património mundial?

Cinco eruditos no tema escrevem, na edição deste sábado do caderno cultural do DN, sobre o fado, dias antes da decisão da Unesco acerca da candidatura desta música popular urbana a Património Imaterial da Humanidade. Um número para guardar.

Ruben de Carvalho, que tem livros publicados sobre este género musical, fala dos grandes debates ideológicos e da reconciliação dos portugueses com o Fado.

As artes plásticas como um expressão que ajudou a promover a legitimização do fado surgem num panorama apresentado por Sara Pereira, directora do Museu do Fado.

Um olhar sobre Amália e o seu legado, apontando o muito que está por fazer, é assinado por David Ferreira, que durante anos comandou a EMI portuguesa e editou discos da fadista.

Uma reflexão sobre o futuro do fado surge depois nas palavras de Carlos do Carmo

E Eurico de Barros recorda 'Fado - História de uma Cantadeira', filme de 1948 que o regime fascista então aplaudiu.

Aproveite a caixa de comentários desta notícia para debater com outros leitores o tema do Quociente de Inteligência desta semana, exclusivo em versão impressa ou e-paper.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG