Novo Museu dos Coches abre na segunda metade de 2014

O secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, disse hoje, em Lisboa, que o novo edifício do Museu dos Coches, em Belém, vai abrir ao público na segunda metade de 2014.

Jorge Barreto Xavier anunciou este calendário durante uma intervenção na sessão de apresentação, no Centro Cultural de Belém, de um projeto de arquitetura da associação Estratégia Urbana, que irá criar um pavilhão em São Paulo, no Brasil, para mostrar 20 anos da arquitetura portuguesa.

Para a sessão de apresentação do projeto, que focou a relação entre a arquitetura brasileira e portuguesa, foi convidado o arquiteto brasileiro Paulo Mendes da Rocha, autor do projeto do novo Museu dos Coches, localizado na Avenida da Índia, em Belém.

A construção do edifício, pago pelos lucros da contrapartida de construção do Casino de Lisboa, através do Turismo de Portugal, começou em janeiro de 2009.

O novo Museu dos Coches ocupa 15.177 metros quadrados nos terrenos das antigas Oficinas Gerais do Exército, e foi concebido em consórcio com os ateliers MMBB Arquitetos (Brasil), Bak Gordon Arquitetos, e Nuno Sampaio Arquitetos (Portugal).

Deverá receber o acervo das peças do atual Museu dos Coches, instalado no antigo Picadeiro Real do Palácio de Belém, localizado na Praça Afonso de Albuquerque, a algumas centenas de metros de distância do edifício contemporâneo.

O Museu Nacional dos Coches foi criado por iniciativa da rainha D. Amélia, mulher do rei D. Carlos I, e reúne uma coleção única no mundo de viaturas de gala e de passeio do século XVII a XIX, na sua maioria provenientes dos bens da coroa ou propriedade particular da Casa Real portuguesa.

O novo espaço expositivo do museu tem 11.880 metros quadrados, oficinas de manutenção e conservação dos coches, e há ainda um anexo com espaço para os serviços administrativos, um auditório e espaços de restauração.

No final da sessão, o arquiteto Paulo Mendes da Rocha assinalou, em declarações aos jornalistas, que "devido às características do projeto, o novo museu deverá ser muito ativo e animado pelos visitantes".

"Não serão mostradas apenas as peças do museu, mas também filmes com a sua história e diversas informações dirigidas a vários tipos de públicos", indicou o arquiteto brasileiro, galardoado com o Prémio Pritzker em 2006.

Paulo Mendes da Rocha recordou "que a construção das estruturas do museu não foi fácil porque há uma deformação do terreno, conquistado ao rio, e teve de ser tida em conta a prevenção da atividade sísmica".

O arquiteto brasileiro considera que o edifício "acarreta em si grandes esperanças para o futuro do país, porque representará a criação de novos postos de trabalho, e a potencialização de um espaço como palco de várias atividades".

"É o museu mais visitado em Portugal", recordou, sobre a média de 200 mil visitantes que o atual edifício recebe por ano, e sublinhou o potencial turístico do equipamento.

Também no final da sessão, o arquiteto Ricardo Bak Gordon comentou que "a obra está finalizada e é um caso raro em Portugal de cumprimento do orçamento".

"Não houve qualquer derrapagem. O projeto concretizou-se com 31 milhões de euros, como estava previsto. O problema é que o museu está parado desde junho de 2012 a aguardar o lançamento de concursos para a criação do passadiço e do projeto expositivo", apontou.

No âmbito do segundo aniversário da Estratégia Urbana, associação privada sem fins lucrativos de promoção da arquitetura, será lançado um número da revista "Cadernos D"Obra" dedicada inteiramente ao projeto do novo Museu dos Coches, e será feita uma visita técnica que termina com uma conferência de Paulo Mendes da Rocha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG