Norman Foster é o arquiteto escolhido para a ampliação do Museu do Prado

Eduardo Souto de Moura era um dos finalistas no concurso

Norman Foster, o arquiteto que em 1999 recebeu o Prémio Pritzker, foi escolhido para assumir a ampliação do Museu do Prado em Madrid, avançou nesta quinta-feira o jornal El País. O ateliê do português Eduardo Souto de Moura era, a par de Rem Koolhaas (Pritzker de 2000), Cruz y Ortiz, Nieto Sobejano, Chipperfield, Gluckman e Garcés De Seta Bonet, concorrente de Foster nas oito equipas finalistas do concurso, selecionadas entre 47.

O arquiteto inglês de 81 anos reabilitará e transformará o Salão dos Reinos, edifício do século XVII que chegou a ser sede do Museu do Exército e onde chegou a estar exposto A rendição de Breda de Velázquez, que dará ao Prado mais 2500 metros quadrados para exposições.

A nova parte do museu, que continua a ampliação levada a cabo pelo arquiteto Rafael Moneo (que agora presidiu o júri deste concurso) em 2007, tem abertura prevista para 2019, altura em que aquela instituição espanhola fará 200 anos.

O Prado e o governo espanhol esperam, segundo o El País, que pelo menos um terço do financiamento do projeto venha de privados, ficando o resto a cargo do Ministério da Cultura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG