Viúva de Lou Reed diz que ele morreu a fazer Tai Chi

Lou Reed morreu a "observar as árvores e a fazer a famosa posição 21 do Tai Chi". Quem o diz é a sua viúva, Laurie Anderson. O músico faleceu no domingo (dia 27), aos 71 anos, na sequência de um problema no fígado.

A artista Laurie Anderson publicou ontem, dia 31, um texto no jornal East Hampton Star, prestanto homenagem ao cantor, guitarrista, compositor e praticante de Tai Chi, arte marcial reconhecida também como uma forma de meditação.

De acordo com o seu médico, Charles Miller, da Cleveland Clinic, em Ohio, onde o cantor fez um transplante de fígado em abril, disse que "Lou lutou com todas as suas forças até ao fim" e confirmou que "ele estava a fazer os seus exercícios de Tai Chi uma hora antes da sua morte".

Lou Reed e Laurie Anderson tinham uma residência em Nova Iorque e, de acordo com viúva, foi lá que o cantor passou os últimos momentos da sua vida. Após a sua morte, Laurie ecreveu: "Na semana passada, eu prometi a Lou que o tiraria do hospital e que voltaríamos para casa em Springs. E conseguimos! Lou era um mestre de Tai Chi e passou aqui os seus últimos dias", escreveu, referindo-se ao marido como "um príncipe e um lutador". A viúva escreveu ainda que Lou estava "feliz e arrebatado pela beleza, pela força e pela suavidade da natureza".

Lou Reed era fundador do Velvet Underground, uma das bandas mais influentes da história do rock, que lançou três discos nos anos 1960 e repercutiu no surgimento do punk e do rock alternativo em décadas posteriores. Com o Velvet, ajudou a colocar o experimentalismo e as narrativas sobre o submundo urbano, drogas e perversões sexuais entre as matérias primas do rock e do pop.

Exclusivos