'Piratas' atacam base de dados da Universal Music Portugal

Piratas informáticos ligados ao movimento Anoymous entraram numa base de dados da editora Universal Portugal, mas os contactos a ela associados não foram afetados, disse à agência Lusa fonte da editora discográfica.

O acesso ilegal a uma antiga base de dados da Universal Music Portugal aconteceu no dia 27 de janeiro e expôs na Internet cerca de 160 endereços eletrónicos, embora não tenham sido divulgados dados pessoais associados a cada um deles, e alguns estavam já desativados, referiu a mesma fonte.

Este "ataque" visou apenas aquela base de dados da editora e foi um caso isolado em relação a outras ações que o movimento Anonymous desencadou anteriormente e que afetou, por exemplo, a editora Sony Music, e outros sites da Universal no Brasil, França ou Estados Unidos.

A Universal Portugal não apresentou qualquer queixa junto das instâncias judiciais.

A editora reforçou, em comunicado, que "em nenhum momento a segurança dos sistemas detidos, mantidos e adminsitrados pela Universal Music Portugal, foi violada, inutilizada ou de qualquer outra forma comprometida em resultados de qualquer tipo de tentativa de acesso ilegal".

Por causa de ataques anteriores a outros sites da Universal, a editora em Portugal tem a página oficial na Internet inacessível, porque aguarda "o resultado de uma auditoria à vulnerabilidade" da mesma.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG