Peste & Sida celebram 25 anos com biografia e concertos

João San Payo é o único músico que permanece desde o primeiro dia no grupo punk rock Peste & Sida e pode contar os 25 anos de história que a banda vai celebrar, com dois concertos e uma biografia.

O grupo assinala o aniversário desde a edição do álbum "Veneno", em 1987, na altura gravado com João Pedro Almendra (voz), João San Payo (baixo), Luís Varatojo (guitarra) e Raposo (bateria).

O disco tinha uma capa inspirada em "London Calling", dos Clash, e temas como "Carraspana" e "Gingão", que os associava a um "rock de combate".

Hoje, o grupo é composto por João San Payo (baixo e voz), João Alves (guitarra) e Sandro Dosha (bateria).

Os 25 anos passados desde a edição daquele primeiro disco são assinalados com o lançamento em abril de "Peste & Sida - 25 anos de Veneno", biografia de Augusto Figueira e Renato Conteiro, disse à agência Lusa a promotora da banda.

Ao lançamento juntam-se dois concertos: a 13 de abril na República da Música, em Lisboa, e no dia 21 desse mês, no Hard Club, no Porto.

O livro, a editar pela Ulmeiro Editora, reúne dezenas de fotografias e testemunhos de elementos da banda, outros músicos, como João Cabeleira, guitarrista dos Xutos & Pontapés, e figuras da música portuguesa, como o antigo editor Tozé Brito.

De fora destes testemunhos fica Luís Varatojo, que integra atualmente A Naifa.

O diretor da revista Blitz, Miguel Cadete, assina o prefácio do livro e sublinha que "desde a primeira hora, a identidade dos Peste & Sida esteve sempre marcada por elementos da cultura portuguesa que lhe conferiam a devida originalidade e evitavam transformar o grupo de João San Payo e Luís Varatojo num mero sucedâneo importado das ruas de Londres dos finais dos anos setenta".

Em 2011, quando os Peste & Sida editaram o álbum "Não há crise", João San Payo recordou à agência Lusa que nos primeiros tempos, "as coisas eram feitas de uma forma intuitiva, espontânea". "Nem sequer sonhávamos que viríamos a ter uma carreira", disse.

Nestes 25 anos - com um hiato de quase dez anos pelo meio - pelos Peste & Sida passaram vários músicos, como Nuno Rafael, Sérgio Nascimento e Orlando Cohen, que participam na biograia agora a editar.

Juntos tocaram temas como "Sol Da Caparica", "Paulinha" ou "Bule Bule", que sobrevivem a estes 25 anos.

Os autores do livro consideram que, "dos ensaios na Monumental aos concertos com os Xutos e na campanha da CDU, passando pelo Rock Rendez Vous (obviamente) os Peste & Sida viveram momentos muito intensos que culminaram com a assinatura de um contrato discográfico - um prémio merecido para uma das melhores bandas do 'underground' português, na segunda metade dos anos 1980".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG