Neko Case, 'Middle Cyclone'

Nos últimos anos vimo-la, sobretudo, dedicada ao trabalho com os New Pornographers, uma banda indie rock canadiana que nos deu já uma mão cheia de belos discos. Contudo, Neko Case não esgota a sua arte nem com os Ñew Pornographers nem apenas entre as fronteiras (vastas, é certo) dos domínios indie rock... A sua discografia abarca outros destinos e várias outras parcerias, ocasionalmente abrindo espaço para um novo disco a solo. Não acontecia desde 2006 (com uma gravação ao vivo editada em 2007, é verdade). Middle Ciclone assinala um regresso em boa forma num disco que, apesar de traduzir uma alma “country” vai muito para lá dos cânones de Nashville. Canções que reflectem sobre espaços rurais, a vastidão do olhar e as paisagens, os ventos, brotam numa encruzilhada onde, além das heranças country se convocam experiências indie e até mesmo marcas de assimilação de um rock clássico. Canções aparentemente frágeis, suportadas por uma voz que sabe o que diz e como o diz. Com Neko Case encontramos uma pequena família de convidados entre os quais Garth Hudson (The Band) e membros dos Calexico, Giant Sand ou Los Lobos. Um disco seguro nos originais, que captam as vivências das várias experiências de Neko Case. Interessante nas versões propostas, ora revisitando os Sparks (Never Turn Your Back On Mother Earth) ou Harry Nilsson (Don’t Forget Me). A expressão “força da natureza” tem sido comum em muitos dos textos críticos sobre Middle Ciclone. E faz sentido. Pela relação com o mundo natural onde estão as raizes das imagens destas canções. Pela alma livre de quem as compôs.


Neko Case
“Middle Cyclone”
Anti / Popstock
4 / 5

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG