Katia Guerreiro condecorada pelo governo francês

A fadista recebeu esta tarde as insígnias de Cavaleiro da Ordem de Artes e Letras, a sua primeira condecoração, das mãos do embaixador francês Jean-François Blarel.

A cerimónia decorreu ao final da tarde de hoje, no Palácio de Santos, sede da Embaixada Francesa em Lisboa, com a presença de familiares e amigos da fadista, da primeira dama, Maria Cavaco Silva, e do presidente da Câmara Lisboa, António Costa.

Jean-François Blarel salientou o papel relevante da fadista para a difusão da cultura nacional como "embaixadora da mais preciosa poesia portuguesa", difundindo com as suas interpretações poemas de Luis Vaz de Camões, Florbela Espanca, Fernando Pessoa ou António Lobo Antunes.

"Embaixadora do fado. A sua voz faz-se ouvir em França e no mundo inteiro. Foi por isso que o governo francês decidiu condecorá-la", explicou Blarel aos presentes nesta homenagem que pretendeu, também, "distinguir uma das mais notáveis cantoras da sua geração".

Katia Guerreiro, emocionada e já com a insígnia ao peito, referiu que "esta é uma história de amor que tem como grandes protagonistas o fado, a poesia, o público" e particularmente, "o público francês" e a própria cantora. "Desde o início da minha viagem que a França me acarinha, me procura e me inspira. Não percebia porquê, mas a reacção era intensa e apaixonada no final de cada espetáculo", disse.

Confidenciou aos presentes que chegou a pensar que o fenómeno que vivia seria uma moda passageira. Enganou-se e agradeceu profundamente o apoio do estado francês ao longo da sua carreira.

"França namora com o fado há muito tempo. Começou a namorar Amália e adoptou-a. Aprendeu que este bocadinho de terra teria muito para lhe oferecer. Assim é ainda hoje (...) e eu orgulho-me de fazer parte desta história", concluiu a fadista.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG