UHF regressam à rua que um dia lhes trouxe fortuna

Na poética dos UHF, Lisboa sempre foi capital, não só geográfica, mas também de inspiração. Canções como Noites Lisboetas (1982) e Apetece Namorar Contigo em Lisboa (2005) apontaram o caminho da paixão de um almadense, António Manuel Ribeiro, pelo outro lado do rio.

No entanto, se os UHF ainda hoje resistem como uma força viva no rock português, parte dessa responsabilidade pertence a uma canção: Rua do Carmo, o terceiro single do álbum de estreia Á Flor da Pele, editado há praticamente trinta anos (1980).

Desse tempo, os UHF conservam apenas o líder, ou não fosse ele o rosto do grupo. Na formação actual, há até um descendente do próprio António Manuel Ribeiro. António Côrte-Real, o guitarrista, tinha apenas quatro anos quando o pai se tornou numa figura ímpar do rock português. E em 2009 continua a ser assim.

Hoje, ele e os restantes músicos estarão na Rua do Carmo, a partir das 21.30, para recordar uma das canções mais familiares da memória pública. A entrada é livre ou não fosse aquele um espaço acessível a qualquer cidadão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.