Duas bandas unidas à procura de concertos mais intimistas

Best Youh e We Trust juntaram-se para criar There Must Be A Place. O cd já está disponível e segue-se uma pequena digressão.

Tem de haver um lugar onde os Best Youth e os We Trust ainda não tocaram ao vivo. Contam com concertos um pouco por todo o país, participações em festivais, mas faltavam espetáculos em cidades mais pequenas, principalmente no interior, em ambientes mais intimistas. There Must Be A Place junta a vontade das duas bandas portuguesas em tocarem juntas e chegarem ao público que quer, mas ainda não teve a oportunidade de os ouvir ao vivo.

Em 2011 foram dois dos grupos revelação em Portugal. Em 2012 continuaram a sua afirmação no panorama musical português e foi num dos maiores festivais, no Optimus Alive, que surgiu a ideia de se juntarem para um projeto. "Estávamos instalados no mesmo hotel e foi num momento de convívio que surgiu a ideia", conta ao DN Catarina Salinas, dos Best Youth. Assim nasceu There Must Be A Place (tradução: tem de haver um lugar), cujo álbum já está disponível para download gratuito em www.optimusdiscos.pt e a versão física pode ser adquirida nos concertos.

"O nosso principal objetivo era ir tocar a sítios que ainda não tínhamos ido, principalmente no interior do País, a cidades mais pequenas. Decidimos fazer um grupo mais pequeno de pessoas, que fosse economicamente viável e que pudesse levar a música a esses auditórios, a essas salas mais interiores", explica ao DN André Tentugal, guitarra acústica e voz dos We Trust e deste projeto. Salienta ainda que a banda realizou muitos concertos ao ar livre, festivais, queima das fitas, mas não o tinham feito "num ambiente mais intimista e There Must Be A Place surge nesse sentido, nessa busca desse local, dessa identidade". "Foi a oportunidade para estarmos juntos e levar a nossa música a quem ainda não tinha ouvido ao vivo e nós sentimos que havia essa vontade."

É, por isso, que o próprio álbum não teve grande produção, pois o que era pretendido era ter um cd dentro do registo do que é um concerto. "Não é um disco produzido, reflete o caráter intimista das canções", afirma André Tentugal, que neste projeto está acompanhado por Ed Rocha Gonçalves, Catarina Salinas, Sofia Ribeiro, Fernando Sousa e Nuno Sarafa.

Ed Rocha realça que trabalhar as músicas das duas bandas para este projeto em comum "foi um processo gratificante". André Tentugal acrescenta que tentaram reduzir ao mínimo os arranjos, mas simplificaram também o processo atribuindo apenas um instrumento a cada elemento. O facto de serem amigos e de até terem elementos em comum nas duas bandas ajudou a que tudo se tornasse mais fácil. "A nossa linguagem musical é bastante próxima", destaca André Tentugal.

There Must Be A Place tem agendado dez concertos entre janeiro e março. O primeiro é no dia 19 no Fundão (Auditório Edifício da Moagem) e depois de passagens pela Guarda, Estarreja, Coimbra, Portalegre, Vila Real, Lisboa, Porto e Ílhavo, a pequena digressão será encerrada no Casino da Figueira da Foz.

E depois? "Se calhar quando terminarmos os espetáculos, vamos separar-nos um pouco", confessa André Tentugal. Os Best Youth poderão lançar um novo trabalho ainda no primeiro semestre do ano e os We Trust no segundo. Mas fica o desejo de voltarem a reunir-se e talvez até regressem com temas originais.

Para celebrar o Natal, as duas bandas fizeram uma versão de Winter Wonderland, um clássico de Dean Martin.

Concertos agendados:

19 de janeiro: Auditório Edifício da Moagem (Fundão)

26 de janeiro: Teatro Municipal da Guarda (Guarda)

2 de fevereiro: Cine Teatro de Estarreja (Estarreja)

8 de fevereiro: Teatro Gil Vicente (Coimbra)

16 de fevereiro: Centro de Artes e Espetáculos (Portalegre)

2 de março: Teatro Municipal de Vila Real (Vila Real)

9 de março: Centro Cultural de Belém (Lisboa)

13 de março: Casa da Música (Porto)

16 de março: Centro Cultural de Ílhavo (Ílhavo)

30 de março: Casino da Figueira (Figueira da Foz)

Ler mais

Exclusivos