Foo Fighters correm quilómetros no Optimus Alive'11

O palco Optimus pôde ontem assistir a uma das mais esperadas actuações do festival: Foo Fighters. As reacções foram unânimes: a banda do ex-baterista dos Nirvana deslumbrou as milhares de pessoas presentes.

Muito antes dos aguardados Foo Fighters subirem ao palco, foram os norte-americanos My Chemical Romance a fazer cantar o público, no final da 2.ª tarde do festival. O vocalista, Gerard Way, levou até Algés o seu habitual estilo irreverente, ao aparecer com o cabelo pintado de vermelho. A banda, de momento em tourné pela Europa, chegou a Portugal com toda a energia que a tem vindo a marcar ao longo dos anos.

"Portugal! Cantem!", era o pedido dos irmãos Way, que após o segundo tema viram uma multidão aproximar-se do palco principal para os ouvir. "Está um bom dia para a música em Portugal. Estão prontos para os Foo Fighters?", perguntava Gerarde, que chegou a pedir ao público um forte aplauso para os cabeça de cartaz.

Num curto alinhamento, My Chemical Romance trouxeram alguns temas do mais recente álbum e relembraram êxitos antigos, como "Welcome to the Black Parade", "Famous Last Words" e "Teenagers". O público, que na sua maioria tentava guardar um bom lugar para a actuação de Foo Fighters foi contagiado pela vibrante performance dos My Chemical Romance.

Passavam quatro minutos da hora prevista (00:25), quando Foo Fighters subiram ao palco principal do Optimus Alive'11. O público mais distraído acordou e correu em direcção ao som dos primeiros acordes da guitarra de Dave Grohl. Sem efeitos de luz impressionantes ou fogo de artifício, o rock "cru" de Foo Fighters foi suficiente para levar o público ao rubro logo após a primeira música.

Dave percorreu o palco de lado a lado, dezenas de vezes, deslumbrando a assistência com solos de guitarra. O vocalista provou que se sente claramente confortável com os seus fãs e que não tem medo de interagir com o público. "The Pretender" causou uma das primeiras explosões de alegria da noite, com os fãs a aplaudirem durante todo o tema. Seguiu-se "My Hero", em que Dave não cantou e se limitou a dirigir o público, que entoava vezes sem conta "there goes my hero". O espectáculo prosseguiu, com a banda a alternar músicas recentes com os clássicos mais conhecidos. O próprio Grohl prometeu que iria ser uma noite longa.

Dave tocou solos de guitarra, literalmente, por entre as mãos do público, enquanto brincou: "gosto de vocês pessoas; parece-me que estão muitas aqui. O rock&roll são pessoas e instrumentos, não temos um computador no palco". Após meia hora de temas não tão conhecidos da banda, e de alguns solos de guitarra intermináveis, ouviram-se os primeiros acordes de "Best of You", que voltou a despertar a atenção do público.

Após duas horas de concerto, os Foo Fighters abandonaram o palco, para voltarem 5 minutos mais tarde. Segundo Dave, este terá sido o maior concerto que deram nos últimos tempos: duas horas e vinte minutos. O vocalista disse-se orgulhoso do facto de o público saber a letra das canções e entoou o conhecido "Times Like These" sem acompanhamento musical, num momento único para com a plateia.

"Everlong", uma "canção sobre amor" foi a última do concerto. Da parte de Dave Grohl e companhia fica a promessa: "se vocês vierem outra vez, nós também vimos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG