Filipe Raposo estreia-se na Culturgest

Pianista falou com o DN sobre o primeiro álbum de originais, 'First Falls'

Filipe Raposo é um músico intuitivamente ligado ao jazz. Mas analisando o seu percurso encontramos ricas colaborações com nomes da música popular portuguesa, de Amélia Muge a Janita Salomé, passando ainda por Fausto Bordalo Dias ou José Mário Branco. Já o percurso académico aproximou-o da música erudita. Fruto de todas estas diversas experiências nasce 'First Falls', o seu primeiro álbum de originais em nome próprio, que será apresentado ao vivo este sábado na Culturgest, em Lisboa, a partir das 21.30.

"Desde cedo que surgiu a vontade de combinar universos musicais, que parecem à partida tão antagónicos, como é o caso da música tradicional e o jazz.Devido ao meu percurso académico, a música erudita acompanhou-me durante toda a adolescência, mas paralelamente o gosto pela música improvisada foi crescendo também, tornando-se parte integrante do meu dia-a-dia musical", referiu Filipe Raposo ao DN.

Esse apelo do improviso, tão caro ao jazz, levou-o "a improvisar sobre a base harmónica de uma sonata de Beethoven ou sobre o prelúdio de Bach", fugindo a regras rígidas e estanques. A descoberta das recolhas musicais de Giacometti e Lopes Graça marcaram o pianista de forma profunda: "Fiquei fascinado pela riqueza musical que as músicas do mundo encerram. Refiro-me a mundo, porque no campo da tradição, é dificil perceber onde acaba uma fronteira e começa outra, por outras palavras, onde acaba um país e começa outro". Acaba então por compreender que a música tradicional "era um pilar essencial de uma grande construção que se chama música contemporânea".

As colaborações com alguns dos músicos acima referidos fizeram com que aprofundasse o lado poético das suas composições: "Percebi que a minha música, a minha forma de tocar, teria que ser mais do que uma mera sequência de notas, teria que conter em si mesma uma poética, imagens literárias que ganhassem vida nas minhas composições", explicou.

Filipe Raposo tem também colaborado com a Cinemateca Portuguesa, musicando filmes mudos de Murnau, Griffith, Vertov, além de também ter composto a banda sonora da peça 'Quem Tem Medo de Virgina Woolf?': "As minhas composições também são narrativas no sentido em que contam as minhas experiências e histórias. Acabam por ser um acompanhamento das minhas imagens poéticas.

Passar do cinema para o teatro é um exercício muito interessante. A possibilidade de escrever a banda sonora e de criar um ambiente psicológico musical para o texto do Edward Albee foi um exercício meticoloso", lembrou o músico.

Será o acumular de todas estas experiências e vivências musicais que também estarão reflectidas no concerto que Filipe Raposo vai dar este sábado na Culturgest, onde vai estar acompanhado por Carlos Bica (contrabaixo), Vicki (bateria), Hugo Fernandes (violoncelo), Yuri Daniel (baixo) e Carlos Miguel (bateria) para apresentar este 'First Falls'. As entradas custam 15 euros (cinco para menores de 30 anos).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG