Editoras resistiram ao lançamento do novo álbum

A cantora revelou que as suas editoras não ficaram satisfeitas com o novo disco "Ultraviolence", lançado a 13 de junho de 2014, com produção de Dan Auerbach, o vocalista dos The Black Keys

Em entrevista à revista Rolling Stone, Lana Del Rey revelou que as editoras Interscope e Polydor's não estavam satisfeitas com o projeto, levando a seis semanas de espera durante a gravação. "Eu penso que havia gente com quem eles queriam que eu trabalhasse (...) Não sei quem são. Quando eu disse que estava pronta, eles perguntaram 'Tens a certeza? Porque eu sinto que conseguias ir mais longe'".

Também Dan Auerbach, produtor do disco, revelou a sua frustração perante a interferência das editoras na gravação; "Havia muita treta a que eu não estou habituado", disse o também cantor. "A editora ameaçava 'Não vos damos orçamento para continuar a sessão, a menos que tenhamos alguma coisa para ouvir.' Enviámos uma mistura inicial e eles odiaram. (...) Não é normal para mim. (...) Fiquei na defensiva".

A editora fez um ultimato a Lana Del Rey, segundo conta o vocalista dos Black Keys, "Não vamos lançar o disco que fizeste com o Dan, a não ser que te encontres com o produtor da Adele [Paul Epworth]"; a cantora atrasou-se para esse encontro, mas Epworth acabou por ouvir as gravações iniciais mostradas, recusadas pela editora. "Ele [Paul Epworth] disse 'Isto é fantástico. Eu não mudaria nada' e depois o representante da editora rematou com 'É isso mesmo, também acho fantástico'", conta o cantor e guitarrista.

Graças a esta controvérsia, "de avanços e recuos" conforme classifica John Janick, patrão da Interscope, o cantor Dan Auerbach revela agora admiração por Lana Del Rey acrescentando em entrevista à revista norte-americana "Há 40 ou 50 anos que não há um disco pop a chegar ao número um gravado nestas circunstâncias".

"Ultraviolence" vendeu cerca de 182 mil cópias na primeira semana, liderando o top americano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG