Descoberta carta escrita por Beethoven em 1823

Documento de seis páginas é de grande relevância, mostrando como era a escrita do compositor. Carta vale mais de 100 mil euros e nela queixava-se da sua doença e da falta de dinheiro.

Os historiadores já tinham conhecimento da existência desta carta, mas o facto de agora terem a possibilidade de a estudar, significa que podem ter uma maior conhecimento de como Beethoven escrevia, percebendo também as queixas que o compositor tinha em 1823, quatro anos antes da sua morte, aos 56 anos.

"Isto significa que podemos olhar para a sua escrita, que era sempre desarrumada porque o pai dele tirou-o da escola muito cedo, para que concentrasse na música", explicou à BBC John Suchet, que escreveu livros sobre Beethoven.

Stefan Weymar, do Instituto Brahms, acrescenta que "Beethoven não era um compositor com letra bonita". "Era espontânea e ele escrevia, depois riscava, enquanto os pensamentos dele mudavam."

Na carta agora encontrada, Beethoven queixava-se da doença que o afectava na altura (um problema nos olhos) e na falta de dinheiro. "O meu baixo salário e a minha doença exigem mais esforço para fazer uma fortuna maior", lê-se no documento.

Esta carta esteve na posse de Julius Stockhausen, grande amigo de Brahms, a cujo o pai foi endereçada o documento. Pertencia agora ao espólio de Renate Wirth (pedagoga musical alemã) - descendente de outro amigo de Brahms - que doou ao Instituto Brahms da escola superior de música Lübeck.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG