Clã e Deolinda obrigam público a sair da tenda

Ambos repetentes no Sudoeste TMN, Clã e Deolinda trouxeram cores garridas à transição da tarde para uma noite em que Kanye West é a grande atracção.

Os primeiros apresentaram o novo álbum "Disco Voador" - um cancioneiro para crianças escrito por adultos - a um público maioritariamente adolescente. Em homenagem aos "supernovos", um grupo de crianças do concelho de Odemira puderam assistir ao concerto nas primeiras filas.

"É giro que os pais possam vir com os filhos aos festivais", declarou a vocalista Manuela Azevedo. "Porque a música é o mais importante", continuou, antes de dedicar o romântico "Sexto Andar" à paixão melómana.

O concerto viria a terminar em registo acelerado com canções como "Dançar na Corda Bamba", que revelam toda a adrenalina que o grupo explora ao vivo.

Já no concerto dos Deolinda, Ana Bacalhau viria a referir-se ao "rock tuga", numa actuação em que a banda contou com a bateria de Sérgio Nascimento a reforçar o poder rítmico. A própria vocalista apresentou-se com um 'outfit' mais urbano que o habitual: um vestido justo e negro que contrastou com os tons pitorescos que habitualmentre traja.

A maré de gente que se concentrou para ver uma das bandas portuguesas mais populares dos últimos anos - pela terceira vez no Sudoeste - estava ali para os ver, como prova a entoanção imparável de refrões. Antes, a defesa da língua portuguesa foi exercida por um brasileiro, Marcelo Camelo de seu nome, que apesar do intimismo da sua música soube partilhá-la com uma multidão ainda a recuperar de novo dia de praia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG