Casa de férias de Amália visitada pela primeira vez

A casa de férias de Amália Rodrigues no Brejão, Odemira, vai ser visitada pela primeira vez desde a morte da fadista, há 11 anos, numa iniciativa da associação Diva do Brejão, foi hoje anunciado.

O presidente da associação, Mário Rui Pereira, disse à Lusa que a visita se realizará no dia 25 pelas 15:00, "com o acompanhamento do conselho de administração da Fundação Amália Rodrigues [proprietária da casa] e apenas à zona exterior, as zonas de jardim e piscina". "Não iremos visitar o interior da casa que está em obras de recuperação. Iremos mais tarde", disse o responsável que sublinhou ser "uma visita apenas para os sócios da associação".

"A visita permitirá trocar ideias, para que os nosso associados possam, de um modo informal, colocar as suas questões ao conselho de administração da Fundação", disse Mário Rui Pereira.

Mário Rui Pereira afirmou que esta visita é "o primeiro resultado" da reunião que houve da associação com a Fundação, em que as duas partes "acertaram ideias".

Dessa reunião, realizada em Junho, ficou "a possibilidade de se estabelecerem protocolos com vista ao apoio da Fundação a iniciativas da associação que terão sempre como pano de fundo Amália e o Brejão". "Todas estas iniciativas a realizar terão objectivos de solidariedade social", realçou Mário Rui Pereira.

A associação retirou entretanto a petição on-line à Assembleia da República para a preservação da casa de veraneio da fadista. A petição fora lançada em Março e tinha já recolhido 1500 signatários. "Na realidade a Fundação interveio e está a recuperar a casa, e aceitámos retirar a petição", disse Mário Rui Pereira.

A associação, que conta com cerca de 50 sócios, é uma entidade sem fins lucrativos que foi constituída a 30 de Dezembro de 2010 e partiu do interesse de um conjunto de cidadãos preocupados com a memória da fadista e em reabilitar "a casa onde Amália recuperava forças para divulgar o nome de Portugal pelo mundo", referiu na ocasião à Lusa Mário Rui Pereira.

A casa no Brejão, traçada pelo arquitecto Conceição Silva, é actualmente propriedade da Fundação Amália Rodrigues, constituída por vontade testamentaria da fadista.

Amália Rodrigues faleceu a 06 de outubro de 1999, na sua residência, em Lisboa, dois dias depois de ter estado no Brejão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG