À agressividade de Valete responderam os Script com amor

A chuva ligeira que se abateu sobre a costa alentejana não impediu que uma multidão generosa se concentrasse junto ao palco maior do festival para ver Valete, primeiro, e The Script depois.

O 'rapper' português deitou todas as cartas com o suporte de uma banda mas apesar da relação empática com um público conhecedor das suas manobras no 'underground' lusitano, voltou a transparecer angústias injustificadas barafustando com "jornalistas e críticas" por algo que nem o próprio saberá. O vernáculo dominou os comentários mas o 'rapper' que se defende com a ideologia não resistiu a fazer um jogo com as "ladies" e os "machos" para ver quem era mais ruidoso.

Acabou por triunfar o sexo masculino, tal como na sua música vence uma postura pretensamente política mas desprovida de causas tangíveis. Ou seja, novo 'bluff'...como sempre.

À agressividade de Valete, responderam os Script num tom delicodoce que fez as delícias de quem telefona ao parceiro do casal para ouvir refrões via telemóvel. "The Man Who Can't Be Moved" dominou as chamadas num festival que tem como patrocinador uma operadora móvel.

No palco Jogos Santa Casa Planeta Sudoeste, King Khan foi rei do rock por cerca de uma hora, motivando os melómanos do festival a procurar pontos de interesses que outras zonas do recinto não tinham.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG