Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia abre a 4 de outubro

O projeto vai ser apresentado na quinta-feira durante a ARCOMadrid, num encontro para 150 convidados

O novo Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, tem abertura marcada para os dias 4 e 5 de outubro, com a exposição Utopia/Distopia, Parte 1: Dominique Gonzalez-Foerster, anunciou hoje a Fundação EDP.

De acordo com a fundação, o projeto vai ser apresentado internacionalmente, na quinta-feira, na ARCOMAdrid - Feira de Arte Contemporânea, pelo diretor do museu, Pedro Gadanho, num encontro para 150 convidados do mundo das artes e da cultura.

Situado nas margens do rio Tejo, na zona de Belém, o MAAT foi projetado pelo ateliê AL_A, liderado pela arquiteta Amanda Levete, e terá 7.000 metros quadrados disponíveis para receber exposições sobre artes visuais e multimédia, arquitetura e cidade, tecnologia e ciência, sociedade e pensamento.

De acordo com a Fundação EDP, o novo museu irá estender a programação à Central Tejo, edifício do início do século XX que, até agora, tem funcionado como Museu da Eletricidade.

As exposições temporárias e permanentes vão ter lugar no novo edifício e na Central Tejo, segundo a Fundação, sublinhando que o objetivo é criar "um local de descoberta, pensamento crítico e diálogo internacional".

Ainda segundo aquela entidade, o novo edifício vai possuir espaços de exposição sob uma cobertura ondulante e, na fachada, serão colocados azulejos 3D "que produzem uma superfície complexa que incorpora água, luz e sombra".

Em janeiro último, a EDP divulgou à Lusa a programação desenhada para decorrer de junho deste ano a janeiro de 2017, na qual constam apresentações de artistas como Edgar Martins, Ana Jotta e Rui Calçada Bastos.

A exposição que vai inaugurar o MAAT, em outubro, intitulada Utopia/Distopia, Parte 1: Dominique Gonzalez-Foerster, surge no âmbito dos 500 anos da publicação do livro Utopia, de Thomas More (1480-1535), que lançou, na época, o uso mais amplo daquela palavra.

Antes, a partir de 21 de junho, será inaugurada Lightopia, com curadoria do Vitra Design Museum e de Pedro Gadanho, na sala de exposição Central Tejo 1, que analisa a forma como a luz elétrica revolucionou a sociedade, com exemplos nos domínios da arte, design, arquitetura e outras disciplinas.

Esta mostra esteve patente em 2014, na sede do Vitra Design Museum, em Weil am Rhein, na Alemanha, viajou depois para o Design Museum Gent, na Bélgica, e está agora patente no Mobel Museum, em Viena, na Áustria.

De outubro a janeiro de 2017, será apresentado o mundo dos designers Charles e Ray Eames, considerados dos mais influentes e pioneiros nomes nesta área, no século XX.

The World of Charles and Ray Eames é uma retrospetiva da obra dos dois criadores, que se encontra agora patente no centro de artes Barbican, em Londres.

A mostra explora a variedade de mundos nos quais os designers viveram e trabalharam, desde a criação de novos produtos para o esforço de guerra, até à adaptação desses materiais experimentais a mobiliário de casa e estúdio, em tempos de paz.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG