Museu Berardo teve menos visitantes no ano passado

O Museu Coleção Berardo, em Lisboa, recebeu 562.614 visitantes em 2013, registando uma quebra de 3,1 por cento nas entradas, em relação a 2012, que justifica com o encerramento às segundas-feiras, iniciado no ano passado.

Contactada pela agência Lusa, fonte do Museu Berardo, instalado no Centro Cultural de Belém desde 2007, indicou que se registou uma diminuição de visitantes da ordem das 18.200 entradas, em 2013, em relação ao ano anterior.

O número total de visitantes às exposições do museu - cuja entrada é gratuita - ascendeu a 580.814, em 2012, e a 562.614, em 2013.

Sobre a diminuição do número de visitantes, a mesma fonte indicou que estará relacionada com o encerramento do museu às segundas-feiras, desde maio do ano passado.

O museu estima que cerca de 52.500 mil pessoas visitavam as exposições anualmente às segundas-feiras.

"Apesar de um enorme esforço de comunicação, muitos guias turísticos apresentam ainda o museu aberto todos os dias, o que provoca uma enorme frustração nos visitantes, especialmente os estrangeiros, que não têm hipótese de voltar outro dia da semana", disse a mesma fonte do museu.

As três exposições mais visitadas no Museu Berardo, em 2013, foram "Coleção Berardo (1960-2010)", com 196.909 visitantes, "Coleção Berardo (1900-1960)", com 103.900 visitantes, e "Da solidão do lugar a um horizonte de fugas", com 42.540 visitantes.

Com o objetivo de reduzir custos, o Conselho de Administração da Fundação Coleção Berardo, que gere o museu, anunciou em abril do ano passado que iria encerrar às segundas-feiras, pondo fim à filosofia de abertura permanente ao público, desde a inauguração, a 25 de junho de 2007.

O museu só encerrava a 25 de dezembro.

Na altura, em declarações à Lusa, o presidente da Fundação, Joe Berardo, tinha estimado uma poupança anual de 65 mil euros, e uma perda de oito por cento dos visitantes.

A maioria dos museus públicos encerra à segunda-feira.

Encerram também à segunda-feira, em Lisboa, os museus da Fundação Calouste Gulbenkian (e nos feriados de 25 de dezembro, 01 de janeiro, domingo de Páscoa e 01 de maio), o Museu da Eletricidade, o Museu da Cidade e, no Porto, o Museu da Fundação de Serralves.

O Museu Arpad Szenes Vieira da Silva, que passou cerca de um ano a encerrar também às terças-feiras, além das segundas-feiras, para reduzir custos, retomou, este mês a abertura nesse dia.

Exclusivos