Secretário de Estado da Cultura assume falhas do modelo de apoio às artes

Miguel Honrado disse, em conferência de imprensa, que identificou falhas no modelo de apoio às artes

O secretário de Estado da Cultura já identificou falhas no modelo de apoio à música, teatro, artes visuais, circo contemporâneo e artes de rua, assim como ao cruzamento disciplinar, conhecido nas últimas semanas, assumiu na conferência de imprensa convocada hoje para o Palácio da Ajuda.

Miguel Honrado precisou que das 140 estruturas apoiadas, 48 são novas. E admite que as verbas totais, de 72,5 milhões de euros, "ainda venham a ser reforçadas".

Esta terça-feira à tarde, o primeiro-ministro chamou para uma reunião em São Bento os ministro e secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, para acompanhar o processo relativo à aplicação do programa de apoio às artes.

Fonte do executivo referiu à agência Lusa que ainda durante o dia de hoje o secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, deverá "dar mais esclarecimentos" sobre a estratégia seguida pelo Governo neste caso dos concursos de apoio às artes.

Os resultados provisórios dos concursos ao Programa de Apoio Sustentado para o quadriénio 2018-2021 da Direção-Geral das Artes (DGArtes) foram conhecidos na sexta-feira e têm suscitado protestos, nomeadamente por parte de Carlos Avillez, diretor do Teatro Experimental de Cascais, que ficou fora do financiamento.

Pela parte do Governo, existe a convicção de que, nesta polémica, "há questões que estão mal esclarecidas junto da opinião pública".

"Há 16 novas companhias abrangidas pelos apoios e no teatro o financiamento médio subiu de 108 para 131 mil euros. Por outro lado, o Governo anunciou um reforço na ordem dos dois milhões de euros. Na listagem conhecida, esses novos apoios de reforço não estavam ainda contabilizados", acrescentou a mesma fonte do executivo.

O primeiro-ministro anunciou em março um reforço dos apoio no valor de 2 milhões de euros, que serão repartidos pelo teatro (45%), música (23%), cruzamentos disciplinares (23%) e artes visuais (9%).

(Em atualização)