Marcelino Sambé distinguido nos EUA

O bailarino Marcelino Sambé e a coreógrafa Catarina Moreira foram premiados no International Ballet Competition

O bailarino português Marcelino Sambé e a coreógrafa Catarina Moreira foram distinguidos no International Ballet Competition, que se realizou em Jackson, no estado norte-americano do Mississippi.

Sambé, que faz parte da Escola de Dança do Conservatório de Lisboa, recebeu uma ovação de pé com a sua actuação e no final acabou por receber a medalha de ouro na categoria de juniores masculinos, prémio este que tem um valor de três mil dólares (cerca de 2400 euros).

As provas de Marcelino Sambé foram constituídas por quatro coreografias na área do ballet clássico e duas na do ballet contemporâneo. O jovem bailarino tem apenas 16 anos e já foi distinguido no ano passado com o primeiro lugar do Youth American Grand Prix, que lhe valeu uma bolsa de estudo no American Ballet Theatre.

Uma das coreografias dançadas por Marcelino Sambé no International Ballet Competition, valeu também um prémio à coreógrafa Catarina Moreira, no valor de 2300 dólares (cerca de dois mil euros). Esta coreografia específica é composta por músicas de vários autores, entre eles Alfredo Marceneiro.

Na altura que foi receber a medalha de ouro, Marcelino Sambé disse aos presentes: "A dança é uma arte, não é um desporto. Acho que devíamos preservar a alma da dança, e não quem consegue fazer mais piruetas ou movimentos."

Ao todo participaram neste concurso mais de cem bailarinos, provenientes de 31 países diferentes. Os premiados foram distinguidos por um júri composto por 13 membros, cada um de um país diferente. Este ano o júri decidiu não atribuir a medalha de ouro na categoria sénior masculino. "Não sentimos que houvesse alguém de alto calibre e os pontos que atribuímos são uma prova disso", referiu na competição o presidente do júri, o norte-americano Bruce Marks, que foi bailarino no American Ballet Theatre.

Já na categoria sénior feminina, a premiada com a medalha de ouro foi Cao Shuci, bailarina natural da China. "Isto é apenas o início. Adoro dançar e vou ser muito cuidadosa em cada passo que der na minha carreira", referiu a bailarina, que acrescentou que no ballet "só a técnica não é suficiente para se ter sucesso". Na categoria feminina de juniores, a distinguida foi Ji Young Chae, natural da Coreia do Sul.

Apesar de o International Ballet Competition ser uma competição dos EUA, apenas um norte-americano foi distinguido na edição deste ano. Derek Dunn, de 15 anos, acabou por receber a medalha de bronze na categoria masculina de juniores. Dunn cresceu em Baltimore e actualmente estuda na The Rock School, na Filadélfia.

A primeira edição deste concurso realizou-se em 1979 e desde 1982 que decorre na cidade de Jackson de quatro em quatro anos. Entre os vários bailarinos que esta competição já premiou, distingue-se José Manuel Carreno, que é hoje o principal bailarino no American Ballet Theatre, em Nova Iorque.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG