Mais de 50 espetáculos na nova temporada do Teatro Municipal do Porto

16 coproduções na programação de Tiago Guedes para os teatros Rivoli e Campo Alegre.

Dança e teatro são os pratos fortes de uma programação que a partir de sexta-feira, 9 de setembro, e até ao final do dezembro, leva cerca de 50 espetáculos aos teatros municipais Rivoli e Campo Alegre, no Porto. Tiago Guedes, o bailarino e coreógrafo que há dois anos assumiu a liderança dos teatros municipais do Porto, destaca as 16 coproduções que serão apresentadas ao longo da temporada, integrando 36 companhias da cidade e envolvendo mais de 400 artistas, tanto na área da dança como do teatro, evidenciando o apoio que tem sido dado às companhias nacionais para realizarem as suas criações.

Logo a 16 de setembro chega a primeira dessas coproduções, Moçambique, a nova criação da mala voadora, que se estreia no Rivoli. O espetáculo, que estreia no Porto subindo depois ao palco do Maria Matos, em Lisboa, de 23 a 27, é "um teatro documental em que o Jorge Andrade [um dos diretores artísticos da mala voadora a par de José Capela], nascido em Moçambique mas que veio para Portugal com quatro anos, se propõe construir uma autobiografia partindo do princípio 'e se eu nunca tivesse saído de Moçambique'", explica Tiago Guedes.

A esta referência, Tiago Guedes junta um incontornável destaque da programação ontem apresentada no Porto: Manger, do francês Boris Charmatz, um dos bailarinos e coreógrafos mais importantes da atualidade, que será apresentado no dia 7 de dezembro, em estreia nacional, no 3.º Piso do Palácio dos Correios (Gabinete do Munícipe).

E, para mostrar "a pluralidade e diversidade" da programação, Tiago Guedes aponta ainda o Porto Best Of que volta a pôr em destaque o que de melhor se vai fazendo na música na Cidade Invicta. Aos Tarântula, criados em 1985 pelos irmãos Paulo e Luís Barros, vão juntar-se os Equaleft, banda com mais de dez anos de existência, e os Redemptus, formados no início de 2014, numa noite inteiramente dedicada ao black metal.

Na apresentação foi ainda feito um balanço da época anterior do Rivoli, pelo presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, que revelou que de janeiro a julho foram apresentados mais de 100 espetáculos no teatro municipal, dos quais 19 foram de artistas internacionais, 11 estreias, envolvendo 713 artistas, 51 coproduções e que tiveram um total de 73 mil espetadores.

Destaques da programação

A 24 de setembro chega o primeiro espetáculo de dança da temporada, incluído na "programação internacional forte", sobretudo nesta área - "antes de iniciarmos aqui o nosso trabalho não havia uma verdadeira temporada de dança no Porto", lembra Tiago Guedes: o coreógrafo e bailarino israelita Emanuel Gat que apresenta pela primeira vez em Portugal Gold, um espetáculo que é a história de uma família, mas também um comentário metafórico sobre a vida através da visão intimista sobre a natureza complexa das relações humanas.

Zululuzu, a mais recente criação do Teatro Praga, que estreou em maio deste ano em Istambul, na Turquia, vai ser apresentado no Porto nos dias 30 de setembro e 1 de outubro, passando antes pelo São Luiz, em Lisboa, de 15 a 25 de setembro. O espetáculo parte de um episódio relativamente obscuro da vida de Fernando Pessoa - a sua chegada a Durban, África do Sul, em 1896.

Em outubro, um dos destaques nacionais da área da dança: Victor Hugo Pontes apresenta o seu novo trabalho, Uníssono, uma coprodução do Teatro Municipal do Porto. O espetáculo é apresentado de 30 de setembro a 2 de outubro, no São Luiz, em Lisboa, e no Porto nos dias 7 e 8 de outubro, no Rivoli.
Também em outubro, o Teatro Municipal do Porto será o "quartel" do FIMP 2016 - Festival Internacional de Marionetas do Porto, de 13 a 23 de outubro. Destaque para o espetáculo O Segredo de Simónides, de Raquel André (14 e 15 Out.), vencedora da 2.ª edição da Bolsa de Criação Isabel Alves Costa, uma parceria entre o FIMP, as Comédias do Minho e o Teatro Municipal do Porto. Ainda no âmbito do festival, mais uma estreia nacional: A Convenção dos Ventríloquos, da artista Gisèle Vienne, que encerra o FIMPA no dia 22.
A terminar o mês de outubro, nova estreia:Inquietações, de Joana Providência, nos dias 28 e 29 de outubro, no Rivoli. Esta coprodução do TMP parte da constatação de como é frágil, nos nossos dias, a fronteira que nos separa do limiar da pobreza.

Em novembro, entre os dias 1 e 6 de novembro, o Rivoli acolhe a terceira edição do Festival do Pensamento "Fórum do Futuro". "Ligações" é o tema da programação, mas ainda não são conhecidos os nomes dos convidados. Nos dias 18 e 19, no Rivoli, mais uma estreia, agora de What a Rogue am I!, do Teatro Experimental do Porto (TEP), com texto de Rui Pina Coelho e encenação de Gonçalo Amorim.
No Teatro do Campo Alegre, no dia 25, uma estreia internacional: AH/HA, da belga Lisbeth Gruwez, que trabalhou durante vários anos com o conceituado artista belga Jan Fabre.

Em dezembro, para além do já referido Manger, de Chamatz, destaque para a estreia da coprodução Und, de As Boas Raparigas, dia 15, um espetáculo com encenação de Rogério de Carvalho.

Para além da programação, começa em setembro a Pós-Graduação em Dança Contemporânea, promovida pelo Instituto Politécnico do Porto / Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo (ESMAE) em parceria com a Câmara Municipal do Porto através do Teatro Municipal do Porto. No âmbito da Pós-Graduação estão já agendadas masterclasses que serão dirigidas por Boris Charmatz, Emanuel Gat, Filipa Francisco, Laurence Yadi e Nicolas Cantillon, Lisbeth Gruwez e Vera Mantero, artistas que até dezembro apresentam espetáculos na cidade.

Exclusivos