Madeira recebe autores empenhados na liberdade de expressão

O festival, para além da literatura, irá promover encontros, debates, espetáculos e sessões de autógrafos

O Festival Literário da Madeira (FLM) irá receber Samar Yazbek, Rafael Marques e Tabish Khair nesta que é a sua 6.ª edição, que se realiza entre os dias 11 e 16 de abril.

Depois de confirmados o escritor Mia Couto, a escritora e realizador Cláudia Clemente e o realizador Ivo M. Ferreira a organização confirmou hoje a presença destes três participantes.

Rafael Marques é um jornalista angolano cujas investigações têm levado à denúncia de casos de corrupção e de violação dos direitos do homem em Angola. Formado em Antropologia e Jornalismo e mestre em Estudos Africanos, Rafael já foi distinguido com vários prémios internacionais, tanto pela sua vertente de jornalista como pela de ativista. E foi pelo seu ativismo na obra Diamantes de Sangue: Corrupção e Tortura em Angola que se viu acusado dos crimes de "denúncia caluniosa" e "difamação" por parte de um grupo de generais angolanos.

Samar Yazbek é uma escritora, jornalista e ativista síria que estudou literatura árabe e que conta no seu percurso com muitas causas ligadas à liberdade de expressão e à defesa dos direitos das mulheres e das crianças. Com seis livros publicados, Samar enfrenta a desaprovação do regime de Bashar al-Assad pelo conteúdo das suas publicações.

O último confirmado, Tabish Khair é um professor indiano, bem como poeta, novelista e ensaísta. Com várias obras editadas, entre elas Lugar Marcado e Como Combater o Terrorismo Islâmico na Posição de Missionário que foram publicadas em Portugal. No seu mais recente livro, The New Xenophobia, Tabish desenvolve um estudo sobre a xenofobia num contexto histórico.

O Festival Literário da Madeira terá como tema Falsidade e Verdade na Ficção Literária, e decorrerá em vários pontos da ilha, entre os dias 11 e 16 de abril. No dia 15 haverá um concerto de Jorge Palma no Teatro Municipal Baltazar Dias.

Exclusivos