Luísa Ducla Soares de regresso às livrarias

A escritora Luísa Ducla Soares edita este mês Os animais do natal, um novo livro para a infância

Aos 76 anos, a autora portuguesa soma mais de 140 livros para crianças e jovens e tem obra dispersa por várias editoras portuguesas, sendo a mais recente a Porto Editora, com quem assinou contrato para a publicação de cerca de vinte títulos, entre inéditos e reedições.

Em declarações à Lusa, a propósito da edição de Os animais de natal, a autora elogiou o trabalho de reedição de várias obras pela Porto Editora, com novas ilustrações, mas referiu-se a 2015 como um ano de "impasse pessoal e profissional".

Luísa Ducla Soares tinha uma parte substancial da obra publicada na Civilização, editora que está num processo de revitalização, e com quem a autora cancelou contratos, por lhe serem devidos 100.000 euros, disse.

Ducla Soares referiu que corre um processo em tribunal, em nome da Sociedade Portuguesa de Autores, contra a Civilização, por via desses contratos cancelados, facto confirmado à Lusa pelo administrador da empresa livreira, Pedro Moura Bessa.

"A acção em tribunal está a decorrer entre a SPA e nós e isso ainda está em discussão. Falta saber se os contratos foram cancelados correcta ou incorretamente", disse Pedro Moura-Bessa, sem especificar o valor da dívida em causa.

Desde o começo deste ano, a Porto Editora, cujo catálogo a autora passou a integrar, já publicou 14 títulos, recuperando obras antigas da autora, como Uns óculos para a Rita, O soldado João, A princesa da chuva, O livro das datas e Uma história de dedos. Estão planeados pelo menos mais seis.

Luísa Ducla Soares tem ainda obra publicada na Livros Horizonte, Afrontamento, SoRegra e Jacarandá, editora que recupera este mês O diário de Sofia & Cª".

A propósito da coleção da Porto Editora, Luísa Ducla Soares será a próxima protagonista do "Porto de Encontro", ciclo de conversas com escritores, promovido pela editora, e que decorrerá no sábado, na Biblioteca Almeida Garrett, no Porto.

A autora, que publicou o primeiro livro, A história da papoila, em 1972, reparte o tempo entre a escrita e a visita a escolas, na divulgação dos seus livros e da promoção leitura junto das crianças.

Tem ainda inéditos guardados à espera de publicação, mas reconhece que também é preciso organizar a bibliografia, tendo em conta os 140 livros já publicados.

"Já me dissram que, se me ponho a escrever mais, depois descuro o resto", disse à Lusa, entre risos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG