Velório de Urbano Tavares Rodrigues realiza-se hoje na Sociedade de Autores

O corpo de Urbano Tavares Rodrigues, falecido hoje, aos 89 anos, será velado a partir das 19:00 na Sociedade Portuguesa de Autores, em Lisboa, anunciou a editora do escritor, sem dar pormenores do funeral.

No comunicado, a editora Publicações D. Quixote e o grupo LeYa manifestam "a mais profunda tristeza [pelo] desaparecimento do nosso querido Urbano Tavares Rodrigues".

A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), num comunicado hoje divulgado, em que também expressa "o seu mais profundo pesar pelo falecimento" do escritor, afirma que o velório se realiza na sala/galeria Carlos Paredes, no edifício da SPA localizado na rua Gonçalves Crespo, "por vontade expressa de Urbano Tavares Rodrigues, manifestada há poucos anos".

A cooperativa de autores refere-se a Tavares Rodrigues como "escritor notável e plurifacetado, grande combatente pela liberdade e cooperador dedicado da SPA".

A SPA recorda que Urbano Tavares Rodrigues foi também "um jornalista brilhante em jornais como Diário de Lisboa e O Século onde, durante anos, se destacou como um respeitado e influente crítico de teatro".

"Ao longo de mais de 60 anos de vida literária e cívica, Urbano Tavares Rodrigues afirmou-se sempre como um homem generoso e solidário, com uma rara capacidade de fazer amigos, como um corajoso militante político nas fileiras do PCP, com várias passagens pelas prisões da ditadura", lê-se no mesmo comunicado da SPA.

A SPA realça ainda que Urbano Tavares Rodrigues foi "um intelectual sempre atento ao despontar de novos valores e talentos literários que apoiou com entusiasmo e generosidade".

Urbano Tavares Rodrigues, oriundo de uma família de proprietários alentejanos, era filho do escritor Urbano Rodrigues, que venceu em 1948 o Prémio Ricardo Malheiros da Academia de Ciências de Lisboa, pela obra "O Castigo de D. João".

Urbano Tavares Rodrigues recebeu este mesmo galardão, dez anos depois, com "Uma Pedrada no Charco".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG