ILGA lança concurso para livro infantil ilustrado

A falta de livros infantis sobre a temática Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero (LGBT) levou a associação ILGA Portugal a lançar um concurso para premiar a melhor história ilustrada sobre as identidades LGBT, numa linguagem acessível aos mais pequenos.

O concurso, que dá pelo nome "Um conto arco-íris", está aberto desde o dia 01 de dezembro a todos os cidadãos com idade igual ou superior a 15 anos, de qualquer nacionalidade e que podem concorrer até ao fim do mês de fevereiro.

"Nós já tínhamos detetado que havia um défice muito grande de livros infantis para todas as famílias. Há pouca representação das pessoas LGBT e das suas famílias nos livros infantis e há também uma falta de instrumentos para se ter uma noção da diversidade desde cedo", explicou à Lusa o presidente da associação de defesa dos direitos das pessoas LGBT, a ILGA -- Portugal.

Para contrariar a ausência de literatura especializada para os mais pequenos, a ILGA resolveu convidar todas as pessoas que gostariam de escrever histórias infantis a imaginar um livro que pudesse ser mais um contributo para melhor conhecer as famílias LGBT.

Por trás desta ausência de livros infantis sobre a temática, Paulo Corte-Real entende estar um problema mais geral que não tem só que ver com a ausência de escritores, leitores ou até com a falta de interesse por parte das editoras.

"É uma falta de visibilidade e de presença sistemáticas das pessoas LGBT aos mais diversos níveis, não só na literatura, mas também na televisão ou no cinema", apontou.

"Se pensarmos que uma em cada dez pessoas será lésbica, gay, bissexual ou transgénero, estamos muito longe de ter uma em cada dez personagens de uma publicação ou uma em cada dez personagens de uma série televisiva que seja LGBT. A representação realista está muito longe de acontecer", acrescentou.

O concurso para o livro infantil acontece no âmbito do projeto Porto Arco-Íris, uma iniciativa da ILGA dirigida à zona norte do país, e o vencedor será conhecido no decorrer da Feira do Livro LGBT, que normalmente acontece na cidade do Porto, no final do mês de março.

Como prémio, o vencedor tem a garantia da publicação do seu livro e da distribuição por livrarias e bibliotecas escolares e municipais, havendo a possibilidade de a ILGA fazer uma exposição com os vários trabalhos que forem submetidos a concurso.

De acordo com a informação que está disponível no site Famílias Arco-Íris, as histórias têm de ser ilustradas, inéditas e "baseadas nos princípios da não discriminação em função da orientação sexual e da identidade de género, promovendo a visibilidade e uma imagem positiva das identidades LGBT".

A avaliar os trabalhos a concurso estará um júri composto pelo escritor Richard Zimler, pela psicóloga Marta Crawford, pelo ilustrador Rui Vitorino Santos e por um elemento da associação ILGA.

O regulamento pode ser consultado em: www.ilga-portugal.pt/ficheiros/pdfs/regulamentoconcursoUmContoArco-Iris.pdf.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG