García Márquez será cremado em cerimónia privada

O corpo do escritor Gabriel García Márquez, que morreu quinta-feira no México, será cremado "em privado" e na tarde de segunda-feira terá lugar uma homenagem no palácio das Belas Artes da capital mexicana.

María Cristina García Cepeda, diretora do Instituto Nacional de Belas Artes revelou a informação ao ler um comunicado em nome da família do escritor colombiano em frente da sua casa no México.

Entretanto, a irmã mais nova de García Márquez, Aída García Márquez, manifestou esperança de que o corpo de "Gabo" seja sepultado na Colômbia, na sua terra natal, local de inspiração para as suas obras, disse.

O escritor colombiano e Nobel da Literatura Gabriel García Marquez morreu na quinta-feira na Cidade do México, aos 87 anos.

O autor de "Cem anos de solidão" foi distinguido com o Nobel da Literatura, em 1982, e não publicava desde 2010, quando foi dado à estampa "Yo no vengo a decir un discurso" ("Eu não venho dizer um discurso").

"Memória das minhas putas tristes", editado em 2004, é assim o último livro de ficção de um autor de causas, que nunca escondeu simpatias políticas, nomeadamente pelo regime cubano de Fidel Castro.

O romance sucedeu a "Do Amor e outros demónios", publicado dez anos antes. "Amor nos tempos do cólera", "Crónica de uma morte anunciada", "O general no seu labirinto" e "Ninguém escreve ao coronel" são outros títulos emblemáticos do escritor.

Na passada segunda-feira, a mulher e os filhos do escritor colombiano emitiram um comunicado, no qual afirmavam que o estado de saúde do escritor era "muito frágil", havendo "risco de complicações".

Gabriel Garcia Márquez regressara a casa no início do mês, depois de uma hospitalização que durou uma semana, por uma infeção pulmonar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG