Criador de Astérix diz ter encontrado um sucessor

Albert Uderzo, 84 anos, criador, com René Goscinny, das aventuras de banda desenhada de Astérix, o gaulês, declarou hoje ter encontrado um sucessor, no anúncio de um novo álbum do herói a publicar no final de 2012.

"Percebi que a personagem de Astérix pertence tanto aos seus autores como aos seus leitores, o que me parece de toda a justiça", disse Uderzo aos jornalistas, à margem de uma cerimónia em Paris para marcar os 350 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo das Aventuras de Astérix.

"Há 'montes' de personagens que continuam a existir através de outros autores que lhes tomam as rédeas", prosseguiu Uderzo, aludindo a criadores dos estúdios de desenho dirigidos por grandes autores.

Uderzo acrescentou que conta publicar um novo álbum de Astérix "até ao final de 2012".

Interrogado pela rádio RTL sobre o nome do seu sucessor, Uderzo mostrou-se evasivo, respondendo simplesmente: "Esse desenhador segue-nos há muito tempo, no seio do estúdio que tínhamos criado".

Com a morte de René Goscinny, a 05 de Novembro de 1977, "pensei parar tudo, à semelhança de Hergé [o criador de Tintin] mas revi essa posição", disse Uderzo. "Faço votos para que esta solução de continuidade dure por gerações e gerações".

Astérix teve a primeira aparição no jornal Pilote, a 29 de Outubro de 1959, pondo em cena uma aldeia de irredutíveis gauleses, armados de uma poção mágica, na luta contra o ocupante romano, no ano 50 a.C..

Os 33 volumes que a série atingiu tornaram-se emblemáticos de um espírito brincalhão e mal-humorado, que resiste à opressão. Esse espírito, prosseguido por Albert Uderzo desde a morte de Goscinny, permitiu a venda de 350 milhões de exemplares no mundo inteiro e a tradução das aventuras em mais de uma centena de línguas - entre as quais o mirandês -, ao longo dos últimos 52 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG